EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Egípcios pedem ao British Museum para devolver Pedra de Roseta

Milhares de egípcios pedem devolução da Pedra de Roseta
Milhares de egípcios pedem devolução da Pedra de Roseta Direitos de autor AP/ The Trustees of the British Museum
Direitos de autor AP/ The Trustees of the British Museum
De  euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button

Milhares de egípcios assinaram uma petição que pede ao British Museum para devolver a Pedra de Roseta, numa altura em que o maior museu da Grã-Bretanha comemora os 200 anos da decifração dos hieróglifos.

PUBLICIDADE

Milhares de egípcios assinaram uma petição que pede ao British Museum para devolver a Pedra de Roseta, numa altura em que o maior museu da Grã-Bretanha comemora os 200 anos da decifração dos hieróglifos. 

A egiptóloga Monica Hana é a autora de uma das petições que reclamam a devolução. "Acho que todas as nações têm o direito de pedir de volta o seu património. No século 19, a escravidão e o trabalho infantil também eram legais e as mulheres não tinham direitos. Hoje, estamos no século 21 e temos de corrigir os erros do passado e corrigir os erros da história porque não podemos mudá-la", defende Hana.

"Hoje, a Pedra de Roseta é, para mim, um símbolo do colonialismo ocidental sobre a minha cultura. Representa um despojo de guerra, a violência cultural. E não estou apenas a pedir sua repatriação. Estou também a treinar gerações de estudantes que se tornarão investigadores para continuarem a luta até que a Pedra de Roseta volte para o Egito", vincou. 

A Pedra de Roseta foi encontrada pelas forças de Napoleão Bonaparte, em 1799, na cidade de Roseta, perto de Alexandria. Quando os britânicos prevaleceram sobre as forças francesas, exigiram a entrega da coleção de antiguidades. Em 1802, a Pedra de Roseta foi enviada para Londres, onde acabou por ser exposta no Museu Britânico.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Arqueólogos descobrem túmulo egípcio antigo com 4.500 anos e tesouros

Mármores de Parthenon podem estar mais perto de voltar a Atenas

Art Paris 2024: a cena artística francesa no centro das atenções, com jovens talentos em destaque