Atriz Judith Godrèche pede inquérito aos abusos sexuais no cinema francês

Judith Godrèche
Judith Godrèche Direitos de autor Michel Euler/Copyright 2024 The AP. All rights reserved.
Direitos de autor Michel Euler/Copyright 2024 The AP. All rights reserved.
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Ouvida no senado francês, a atriz, de 51 anos, que acusa dois realizadores franceses de a terem violado quando era adolescente, reclama também a demissão do presidente do Centro Nacional de Cinema, acusado de abusar sexualmente do afilhado.

PUBLICIDADE

A atriz Judith Godrèche pediu esta quinta-feira a abertura de uma comissão de inquérito sobre a violência sexual na indústria cinematográfica francesa, numa audição na comissão dos direitos das mulheres no Senado francês.

Trata-se de um momento histórico, por ser a primeira vez que um artista fala na câmara alta do parlamento francês sobre a violência sexual e de género na indústria do cinema de França. 

"Esta família incestuosa na indústria cinematográfica é apenas um reflexo de todas as famílias" afetadas por esta violência, disse Godrèche.

"O que me aconteceu a mim não deve acontecer à geração seguinte", acrescentou a atriz de 51 anos.

No início do discurso, Judith Godrèche prestou uma homenagem ao juiz Edouard Durand, antigo presidente da Comissão Independente francesa sobre o Incesto e os Abusos Sexuais de Crianças (Ciivise), e que foi destituído do cargo em dezembro de 2023, chamando a atenção para a necessidade de uma maior proteção das crianças vítimas de abusos sexuais.

A atriz reclamou também a demissão do presidente do Centro Nacional de Cinema (CNC), Dominique Boutonnat, acusado ter abusado sexualmente do afilhado em 2020, alegação que o próprio nega. Em 2022, o governo francês reconuziu-o para um segundo mandato.

Godrèche referiu ainda que seria importante criar um sistema de controlo mais eficaz que inclua um conselheiro neutro nas filmagens com menores e um "coordenador de intimidade" para as cenas de sexo.

Na semana passada, Judith Godrèche foi aplaudida de pé nos Prémios César (maior premiação do cinema gaulês) quando subiu ao palco para denunciar a utilização da indústria cinematográfica como "cobertura para o tráfico ilícito de jovens raparigas".

Os procuradores franceses abriram uma investigação este mês depois de Godrèche ter acusado o realizador Benôit Jacquot de a ter violado durante uma relação de seis anos, que começou quando ela tinha 14 anos, sendo ele 25 anos mais velho. 

A atriz acusou um outro realizador, Jacques Doillon, de lhe ter infligido abusos sexuais quando ela tinha 15 anos. Doillon tinha à época mais 29 anos do que Godrèche.

"O que me aconteceu a mim não deve acontecer à geração seguinte", salientou Judith Godrèche.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Nova acusação de agressão sexual contra Gérard Depardieu

Depardieu enfrenta novas acusações de assédio e agressão sexual

Denúncias de abusos sexuais abalam patinagem em França