Balanço positivo de três anos de transportes gratuitos no Luxemburgo

(imagem de arquivo)
(imagem de arquivo) Direitos de autor JEAN-CHRISTOPHE VERHAEGEN/AFP or licensors
Direitos de autor JEAN-CHRISTOPHE VERHAEGEN/AFP or licensors
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

País avançou com gratuidade na rede de transportes públicos em março de 2020

PUBLICIDADE

Três anos depois de se tornar no primeiro país a tornar gratuito o acesso à totalidade da sua rede de transportes públicos, o Luxemburgo faz um balanço "mais do que positivo".

Os utilizadores dizem-se satisfeitos com um sistema que permite "deslocar-se facilmente" e que é "bastante bom para o ambiente".

Uma medida lançada em março de 2020 e que, como explica o governo, é totalmente financiada pelos impostos.

François Bausch, ministro da Mobilidade do Luxemburgo:"É um custo considerável, mas é preciso saber que é, na realidade, tributado. É pago pelos contribuintes e, finalmente, há uma maior equidade, porque os que pagam poucos impostos, não pagam nada ou quase nada, beneficiando da gratuidade, e os que pagam mais impostos, pagam obviamente mais. Eles têm um preço talvez mais elevado."

Apesar da "cultura do automóvel" estar ainda bastante presente no Luxemburgo, muitos utentes do sistema gratuito de transportes públicos já o consideram como um "direito fundamental".

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

O país mais rico do mundo tornou o transporte público gratuito: Quais são as consequências?

A poluição atmosférica está a perturbar a concentração do seu filho? Estudo relaciona a exposição ao NO2 com a capacidade de atenção

Quão verdes são os manifestos dos partidos que concorrem às eleições europeias?