Encerrar todas as centrais a carvão até 2040 para evitar "caos climático", insta novo relatório

No mundo, mais de 2.400 centrais alimentadas a carvão estão em funcionamento. Todas precisam de fechar nos próximos 17 anos para se poder cumprir os objectivos climáticos
No mundo, mais de 2.400 centrais alimentadas a carvão estão em funcionamento. Todas precisam de fechar nos próximos 17 anos para se poder cumprir os objectivos climáticos Direitos de autor Canva
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button

Encerrar todas as centrais a carvão até 2040 para evitar "caos climático", insta novo relatório

PUBLICIDADE

O mundo precisa de eliminar o carvão cinco vezes mais depressa do que actualmente para evitar o "caos climático", de acordo com um novo relatório.

Em todo o mundo, mais de 2.400 centrais alimentadas a carvão ainda estão em funcionamento.

Um novo relatório da ONG americana Global Energy Monitor diz que todas estas devem ser encerradas até 2040 e que nenhuma nova central pode abrir se os países quiserem cumprir os seus objectivos climáticos do Acordo de Paris.

O mundo não está actualmente no bom caminho para cumprir estes objectivos, adverte Flora Champenois, a principal autora do relatório e gestora do projecto localizador global de centrais a carvão da Global Energy Monitor.

"A este ritmo, a transição do carvão existente e do carvão novo não está a acontecer com a rapidez suficiente para evitar o caos climático", diz ela.

"Quanto mais novos projectos de carvão entrarem em linha, mais acentuados serão os cortes e os compromissos no futuro".

Que países estão a construir mais centrais alimentadas a carvão?

A combustão do carvão produziu 14,98 mil milhões de toneladas métricas de dióxido de carbono em 2021 - equivalente às emissões anuais geradas por 3,3 mil milhões de automóveis. Isto é o dobro da quantidade de carros actualmente existente, tornando o combustível fóssil num factor-chave do aquecimento global.

Na COP26, o Presidente da Cimeira Alok Sharma exortou os delegados a "consignar o carvão à história".

Alguns países tomaram medidas. Os EUA fecharam 13,5 gigawatts de capacidade energética alimentada a carvão no ano passado.

Um gigawatt é um bilião de watts, ou mil megawatts. Uma típica central a carvão tem uma capacidade energética de cerca de 600 megawatts.

A UE encerrou 2,2 GW de capacidade de carvão no ano passado - contra 14,6 GW no ano anterior. A desaceleração ocorre quando o bloco lutou para manter os preços da energia baixos na sequência da invasão russa da Ucrânia.

Globalmente, a quantidade de centrais eléctricas a carvão em funcionamento e planeadas caiu tanto nos países desenvolvidos como nos países em desenvolvimento, excluindo a China em 2022.

canva
As centrais a carvão contribuem grandemente para as emissões globaiscanva

Mas a China aumentou maciçamente as centrais a carvão.

"Globalmente, a frota de carvão em funcionamento cresceu 19,5 GW, ou menos de 1%, em 2022", declara o relatório.

"Mais de metade (59%) dos 45,5 GW da nova capacidade comissionada estava na China".

Globalmente, os países encerraram 26 gigawatts de capacidade de produção a carvão em 2022. No entanto, o aumento na China "cobre de longe" estes encerramentos - levando ao aumento de 1%.

A que velocidade precisamos de eliminar gradualmente o carvão?

O abandono progressivo da capacidade de produção a carvão até 2040 exigirá que sejam retirados uma média de 117 GW por ano, adverte o relatório.

"[Isto é] quatro vezes e meia a capacidade retirada no ano passado", escrevem os autores.

PUBLICIDADE

"Uma média de 60 GW deve ser retirada todos os anos nos países da OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico) para cumprir o seu prazo de retirada do carvão de 2030, e para os países não-OCDE, 91 GW por ano para o seu prazo de 2040.

"A contabilidade das centrais de carvão em construção e em consideração (537 GW) exigiria cortes ainda mais acentuados".

O relatório também apelou a um investimento acelerado em energia limpa para fazer face à eliminação progressiva do carvão.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Atividade doméstica e transportes são principais responsáveis pelas mortes devido à poluição do ar

Temperaturas na Europa sobem ao dobro da velocidade da média global

Última central a carvão de Portugal fechou há um ano