Poluição automóvel é responsável por numerosos problemas de saúde

Poluição provocada pelo fumo dos carros é responsável por inúmeros problemas de saúde
Poluição provocada pelo fumo dos carros é responsável por inúmeros problemas de saúde Direitos de autor Canva
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button

Da baixa contagem de espermatozóides ao aborto espontâneo e à demência, a poluição atmosférica, sobretudo automóvel, causa inúmeros problemas de saúde

PUBLICIDADE

Desde antes do nascimento até à velhice, a poluição atmosférica prejudica a nossa saúde em todas as fases da vida, de acordo com novas investigações do Imperial College London (ICL).

O grupo de investigação ambiental do ICL descobriu que a poluição por partículas (PM2,5) e dióxido de azoto - ambos provenientes dos tubos de escape de veículos - são particularmente nocivos.

Como não há provas que sugiram a que limiar as PM2,5 se tornam nocivas, dizem que mesmo aqueles que vivem nos subúrbios menos poluídos de Londres podem ser afetados.

"Enquanto as manchetes sobre o impacto da poluição atmosférica na saúde se concentram no número equivalente de mortes prematuras, os impactos mais amplos escondem-se à vista de todos na contribuição da poluição atmosférica para o fardo das doenças crónicas", escrevem os autores do estudo.

Isto afeta a nossa qualidade de vida e pode ter grandes custos para a sociedade devido a necessidades adicionais de cuidados de saúde e de cuidados sociais, acrescentam eles. Também tem impacto na nossa capacidade de aprender, trabalhar e contribuir para a sociedade.

Como é que a poluição atmosférica afeta a nossa saúde?

A investigação analisou as principais provas de 35.000 estudos realizados nos últimos 10 anos por instituições como a Organização Mundial de Saúde (OMS), o Colégio Real de Médicos e a Agência Internacional para a Investigação do Cancro, para descobrir o quadro completo desde o pré-nascimento até ao fim da vida.

Foi demonstrado que a poluição atmosférica causa uma baixa contagem de espermatozóides. Durante a gravidez, verificou-se que prejudica o desenvolvimento do feto e também pode causar baixo peso à nascença e abortos espontâneos.

Na infância, a poluição atmosférica pode causar asma e outras afeções dos pulmões. Pode também afetar a saúde mental, a pressão sanguínea e as capacidades cognitivas.

E, na idade adulta, torna mais provável a morte precoce por cancro, AVC e doenças crónicas.

A descoberta nova mais importante, dizem os autores do relatório, é a evidência relacionada tanto com o impacto da poluição do ar na saúde cerebral - incluindo a saúde mental e a demência - como com os impactos na saúde no início da vida.

"Ambos representam custos significativos, mas atualmente não quantificados, para a sociedade e para a economia", escrevem.

Que impacto está a ter a poluição atmosférica no Reino Unido?

O relatório foi encomendado pela Greater London Authority e surge quando o governo britânico lança uma consulta sobre a sua Estratégia de Qualidade do Ar.

Em 2018, a Saúde Pública Inglaterra calculou que no Reino Unido morrem anualmente até 43.000 pessoas devido à poluição atmosférica, com custos equivalentes a 21 mil milhões de euros até 2035, se não forem tomadas medidas.

Ella Adoo-Kissi-Debrah, de nove anos de idade, foi a primeira pessoa no Reino Unido a ter a poluição atmosférica listada como causa de morte. Ella morreu em 2013 depois de ter tido um ataque de asma devido aos vapores do trânsito.

A investigação sobre a sua morte revelou, em 2020, que tinha sido exposta a níveis excessivos de poluição antes de morrer.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Heathrow, Schiphol, Charles de Gaulle: Os aeroportos europeus estão entre os mais poluentes do mundo

Seca em Espanha: Tenerife vai declarar emergência devido à falta de água

Espanha quer proibir voos domésticos sempre que seja possível apanhar um comboio em vez de um avião