EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Poluição automóvel é responsável por numerosos problemas de saúde

Poluição provocada pelo fumo dos carros é responsável por inúmeros problemas de saúde
Poluição provocada pelo fumo dos carros é responsável por inúmeros problemas de saúde Direitos de autor Canva
Direitos de autor Canva
De  Euronews
Publicado a Últimas notícias
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button

Da baixa contagem de espermatozóides ao aborto espontâneo e à demência, a poluição atmosférica, sobretudo automóvel, causa inúmeros problemas de saúde

PUBLICIDADE

Desde antes do nascimento até à velhice, a poluição atmosférica prejudica a nossa saúde em todas as fases da vida, de acordo com novas investigações do Imperial College London (ICL).

O grupo de investigação ambiental do ICL descobriu que a poluição por partículas (PM2,5) e dióxido de azoto - ambos provenientes dos tubos de escape de veículos - são particularmente nocivos.

Como não há provas que sugiram a que limiar as PM2,5 se tornam nocivas, dizem que mesmo aqueles que vivem nos subúrbios menos poluídos de Londres podem ser afetados.

"Enquanto as manchetes sobre o impacto da poluição atmosférica na saúde se concentram no número equivalente de mortes prematuras, os impactos mais amplos escondem-se à vista de todos na contribuição da poluição atmosférica para o fardo das doenças crónicas", escrevem os autores do estudo.

Isto afeta a nossa qualidade de vida e pode ter grandes custos para a sociedade devido a necessidades adicionais de cuidados de saúde e de cuidados sociais, acrescentam eles. Também tem impacto na nossa capacidade de aprender, trabalhar e contribuir para a sociedade.

Como é que a poluição atmosférica afeta a nossa saúde?

A investigação analisou as principais provas de 35.000 estudos realizados nos últimos 10 anos por instituições como a Organização Mundial de Saúde (OMS), o Colégio Real de Médicos e a Agência Internacional para a Investigação do Cancro, para descobrir o quadro completo desde o pré-nascimento até ao fim da vida.

Foi demonstrado que a poluição atmosférica causa uma baixa contagem de espermatozóides. Durante a gravidez, verificou-se que prejudica o desenvolvimento do feto e também pode causar baixo peso à nascença e abortos espontâneos.

Na infância, a poluição atmosférica pode causar asma e outras afeções dos pulmões. Pode também afetar a saúde mental, a pressão sanguínea e as capacidades cognitivas.

E, na idade adulta, torna mais provável a morte precoce por cancro, AVC e doenças crónicas.

A descoberta nova mais importante, dizem os autores do relatório, é a evidência relacionada tanto com o impacto da poluição do ar na saúde cerebral - incluindo a saúde mental e a demência - como com os impactos na saúde no início da vida.

"Ambos representam custos significativos, mas atualmente não quantificados, para a sociedade e para a economia", escrevem.

Que impacto está a ter a poluição atmosférica no Reino Unido?

O relatório foi encomendado pela Greater London Authority e surge quando o governo britânico lança uma consulta sobre a sua Estratégia de Qualidade do Ar.

Em 2018, a Saúde Pública Inglaterra calculou que no Reino Unido morrem anualmente até 43.000 pessoas devido à poluição atmosférica, com custos equivalentes a 21 mil milhões de euros até 2035, se não forem tomadas medidas.

Ella Adoo-Kissi-Debrah, de nove anos de idade, foi a primeira pessoa no Reino Unido a ter a poluição atmosférica listada como causa de morte. Ella morreu em 2013 depois de ter tido um ataque de asma devido aos vapores do trânsito.

A investigação sobre a sua morte revelou, em 2020, que tinha sido exposta a níveis excessivos de poluição antes de morrer.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Produção de cereais em França afetada pelas alterações climáticas

Novo governo britânico levanta proibição da energia eólica em terra

Quem é Marine Tondelier? Conheça a líder dos Verdes que inspirou a França a votar contra a extrema-direita