EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

PM grego diz que o país está a travar uma "guerra" contra as alterações climáticas

Vista de chamas enquanto uma floresta arde, na aldeia de Dikela, perto da cidade de Alexandroupolis, na região nordeste de Evros, Grécia, 22 de agosto de 2023.
Vista de chamas enquanto uma floresta arde, na aldeia de Dikela, perto da cidade de Alexandroupolis, na região nordeste de Evros, Grécia, 22 de agosto de 2023. Direitos de autor AP Photo
Direitos de autor AP Photo
De  Charlotte Elton
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Artigo publicado originalmente em inglês

Kyriakos Mitsotakis comprometeu-se a travar uma "guerra climática" depois das inundações e dos incêndios florestais que devastaram o país.

PUBLICIDADE

O primeiro-ministro grego Kyriakos Mitsotakis comprometeu-se a travar uma "guerra" contra as alterações climáticas, depois dos incêndios e inundações que devastaram o país este verão.

A Grécia tem sofrido meses de catástrofes climáticas.

Em agosto, um incêndio florestal na região nordeste de Evros - o maior incêndio jamais registado na União Europeia (UE) - matou 26 pessoas.

Poucas semanas depois, a tempestade Daniel assolou a planície central da Tessália, matando pelo menos 17 pessoas antes de atingir a Líbia.

Mitsotakis foi criticado pela forma como lidou com as crises. O partido da oposição afirmou que não foram efetuadas obras de prevenção das inundações, apesar das cheias ocorridas na Tessália no ano passado. Entretanto, os ativistas do clima acusaram o dirigente em causa de não levar a sério a política ambiental.

No sábado, o primeiro-ministro prometeu tomar medidas decisivas para fazer face a futuras catástrofes.

"A Grécia está a enfrentar uma guerra em tempo de paz", disse Mitsotakis no seu discurso de abertura da Feira Internacional de Salónica.

"No espaço de duas semanas, vivemos o pior incêndio florestal e as piores inundações da nossa história."

"A crise climática está aqui e obriga-nos a ver tudo de forma diferente."

Como vai o Governo grego combater as alterações climáticas?

Os incêndios florestais na Grécia devastaram 378 381 hectares de terra, incinerando milhares de animais e destruindo casas e empresas.

As cheias afogaram 110 mil animais de criação e dizimaram um quarto da produção agrícola do país.

AP Photo
Inundações cobrem área na cidade de Volos, centro da Grécia, terça-feira, 5 de setembro de 2023.AP Photo

O governo conservador - eleito com uma vitória esmagadora há três meses - tem sido alvo de críticas intensas sobre a sua resposta às catástrofes.

Num discurso proferido no sábado, 16 de setembro, o primeiro-ministro Mitsotakis tentou responder a estas acusações.

Afirmou que a Grécia vai duplicar o seu orçamento para as catástrofes naturais relacionadas com as alterações climáticas, elevando o fundo total para 600 milhões de euros. Este montante será pago através de um imposto sobre os hotéis de luxo.

Mitsotakis anunciou um desconto de 10% no imposto sobre o seguro de propriedade e um seguro obrigatório para as médias e grandes empresas.

"É altura de iniciar um debate público sobre o seguro obrigatório de todas as casas e empresas", afirmou.

Mas nem todas as novas políticas foram bem recebidas. O primeiro-ministro anunciou a transferência do controlo do Serviço Nacional de Meteorologia e do Observatório para o Ministério da Proteção Civil.

A medida surge depois de funcionários do seu governo terem criticado os dados provenientes da organização, anteriormente independente.

PUBLICIDADE

O Syriza, partido da oposição de esquerda, acusou o Governo de tentar silenciar os cientistas que estão a dar o alarme sobre as alterações climáticas.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Inundações ameaçam um em cada oito europeus e 11% dos hospitais

Cozinhar com combustíveis "sujos" e prejudiciais para o clima mata milhões de pessoas todos os anos. Como é que a Europa pode ajudar?

Camiões e autocarros deverão reduzir as emissões de CO2 em 90% até 2040