Baleia-cinzenta "incrivelmente rara" reaparece no Atlântico passados 200 anos da alegada extinção

Esta fotografia de Orla O'Brien mostra uma baleia cinzenta a sul de Nantucket.
Esta fotografia de Orla O'Brien mostra uma baleia cinzenta a sul de Nantucket. Direitos de autor Orla O'Brien/New England Aquarium via AP
De  Euronews Green com AP
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Artigo publicado originalmente em inglês

Este animal marinho foi quase extinto durante a época da caça comercial à baleia.

PUBLICIDADE

Os cientistas confirmaram a presença de uma baleia ao largo de Nova Inglaterra que se extinguiu no oceano Atlântico há dois séculos. 

Trata-se de uma descoberta emocionante mas que, segundo os cientistas, ilustra o impacto das alterações climáticas na vida marinha.

Os investigadores do Aquário da Nova Inglaterra, em Boston, encontraram a baleia cinzenta quando sobrevoavam uma área 50 quilómetros a sul de Nantucket, Massachusetts, nos EUA, no dia 1 de março.

A baleia, que pode pesar até 27.000 quilos, vive normalmente no norte do oceano Pacífico. Esta baleia em particular pode ter estado nas águas do Atlântico durante alguns meses, uma vez que os cientistas acreditam que foi avistada ao largo da costa da Florida em dezembro.

Como redescobriram a baleia-cinzenta?

A baleia-cinzenta desapareceu do oceano Atlântico no século XVIII, mas houve cinco observações documentadas do animal em águas atlânticas e mediterrânicas nos últimos 15 anos, afirmou o aquário num comunicado.

Os investigadores que encontraram o animal ao largo de Massachusetts disseram que estavam cépticos no início, mas depois de circularem na área durante 45 minutos, conseguiram tirar fotografias que confirmaram que se tratava de facto de uma baleia cinzenta.

"Não queria dizer em voz alta o que era, porque parecia uma loucura", disse Orla O'Brien, investigadora associada do Anderson Cabot Center for Ocean Life no Aquário de Nova Inglaterra.

"O meu cérebro estava a tentar processar o que estava a ver, porque este animal era algo que não deveria existir nestas águas", disse a técnica de investigação Kate Laemmle.

"Estávamos a rir por causa do quão selvagem e excitante isto era - ver um animal que desapareceu do Atlântico há centenas de anos!"

Avistamento é sinal das alterações climáticas

Os cientistas disseram que estavam entusiasmados por ver o animal, mas a sua presença provavelmente tem a ver com o aquecimento do planeta.

A Passagem do Noroeste, que liga os oceanos Atlântico e Pacífico através do oceano Ártico, no Canadá, tem estado livre de gelo no verão nos últimos anos, segundo os cientistas.

Isso significa que as baleias-cinzentas podem viajar mais livremente pela passagem no verão, quando normalmente estariam bloqueadas.

O'Brien disse que a chegada do animal ao largo de Nova Inglaterra serve "para recordar a rapidez com que as espécies marinhas respondem às alterações climáticas, se tiverem oportunidade".

As baleias-cinzentas quase foram caçadas até à extinção durante a era da caça comercial à baleia.

Atualmente, as baleias recuperaram ao ponto de serem consideradas uma espécie de "menor preocupação" pela União Internacional para a Conservação da Natureza. A organização considera, no entanto, que a população ocidental das baleias que vive ao largo da Ásia está em perigo.

Podem ser identificadas pela ausência de barbatana dorsal e pelo seu aspeto mosqueado, que as torna muito diferentes das baleias mais frequentemente observadas ao largo de Nova Inglaterra, como a baleia-de-bossa e a baleia-anã.

O seu som também é muito diferente - enquanto as baleias jubarte são conhecidas pelos seus cânticos assombrosos, as baleias-cinzentas emitem gorgolejos, grunhidos e coaxos.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Alterações climáticas ameaçam populações de atum do Pacífico

Instituições da UE chegam a acordo sobre Lei da Recuperação da Natureza

Espanha remove barragens para evitar cheias e proteger biodiversidade (com o apoio da UE)