EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

"Europe Weekly": UE multiplica apelos de apoio à gestão da crise migratória

"Europe Weekly": UE multiplica apelos de apoio à gestão da crise migratória
Direitos de autor 
De  Euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

A União Europeia tenta, por todos os meios, responder à crise migratória. Apela a mais esforço e solidariedade no seio do bloco comunitário. Ao mesmo

PUBLICIDADE

A União Europeia tenta, por todos os meios, responder à crise migratória. Apela a mais esforço e solidariedade no seio do bloco comunitário. Ao mesmo tempo a Turquia, a par da NATO, são pressionadas em nome de um maior envolvimento para reduzir o fluxo de refugiados.

Apesar da relutância, a NATO acabou por decidir envolver-se na crise migratória. Não se trata de uma intervenção militar. A Aliança Atlântica deverá proporcionar apoio logístico com a deslocação de várias embarcações para ajudar as forças gregas, turcas e da agência Frontex. Este e outros temas estão em destaque em mais uma edição de “Europe Weekly”, programa em que passamos em revista os assuntos que marcam a agenda europeia.

Em destaque na agenda da próxima semana:

Segunda-feira – Ministros dos Negócios Estrangeiros reúnem-se em Bruxelas para discutir a situação humanitária na Síria.

Terça-feira – Primeiro-ministro britânico estará no Parlamento Europeu. David Cameron fará uma avaliação das negociações sobre uma possível saída do Reino Unido da União Europeia.

Quinta-feira – David Cameron encontra os homólogos, em Bruxelas, na cimeira europeia em que estará no centro das atenções uma vez que o encontro se concentrará principalmente nas reformas propostas pelo Reino Unido.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Estado da União: Von der Leyen e Metsola reeleitos, Trump nomeado

Estado da União: A cimeira da NATO e a autodeclarada missão de paz de Orbán

Estado da União: fome iminente no Sudão e a presidência da UE de Orbán