This content is not available in your region

Bruxelas apresenta propostas para "democratizar" zona euro

Access to the comments Comentários
De  Isabel Marques da Silva  com Lusa
Bruxelas apresenta propostas para "democratizar" zona euro

A possibilidade de ter um presidente permanente e a tempo inteiro no Eurogrupo e que poderia, mesmo, acumular o cargo de comissário para os Assuntos Económicos e Financeiros é uma das propostas para melhorar o funcionamento da zona euro.

Esta ideia consta de um documento de reflexão apresentado, quarta-feira, pela Comissão Europeia.

“A governação da zona euro não pode ficar fora da exigência democrática. Precisamos de um controlo democrático e é necessário reforçar o papel do Parlamento Europeu no sentido de desempenhar essa função”, explicou Pierre Moscovici, comissário europeu para os Assuntos Económicos e Financeiros.

“São precisos instrumentos que podem levar, de uma forma ou de outra, à criação de um orçamento, ou de um tesouro. Há uma necessidade, que é natural, da zona euro ter melhor governação e maior controlo parlamentar”, acrescentou Moscovici.

Contudo, os 19 países da zona euro, e os outros que se venham a juntar, têm de chegar a um consenso sobre esta reforma.

“Não podemos ter uma Europa a duas velocidades e, muito menos, uma zona euro a duas velocidades. A moeda única pressupõe reduzir as divergências e o seu objetivo é evitar essa essa noção de Europa a duas velocidades”, referiu o comissário europeu.

Completar a União Económica e Monetária com novos instrumentos democráticos é uma das prioridades para o governo português, que tem insistido com Bruxelas para fazer essa reforma o mais rapidamente possível.