Macron confiante no fortalecimento do eixo franco-alemão

Macron confiante no fortalecimento do eixo franco-alemão
Direitos de autor 
De  Isabel Marques da Silva com EFE
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button

O Presidente de França está confiante no fortalecimento do eixo franco-alemão e propôs avançar na integração europeia para evitar que o "Velho Continente" perca a corrida da globalização e evite o nacionalismo.

PUBLICIDADE

O Presidente da França propôs avançar na integração europeia para evitar que o “Velho Continente” perca a corrida da globalização e evite o retorno dos demónios do passado, em particular o nacionalismo.

Apesar do enfraquecido resultado eleitoral da chanceler alemã, Emmanuel Macron disse contar com Angela Merkel para dar novo gás ao chamado motor franco-alemão, no seu discurso sobre o “Futuro da Europa”.

“Sei que a resposta da chanceler não será nem a do recuo nem a do desalento. Sei isso, porque de cada vez que o seu país enfrentar desafios históricos, ela terá a mesma reação: ousadia e sentido da História. É isso que lhe estou a propor”, disse o chefe de Estado.

Merkel welcomes “a lot of material” from Macron on EU reform https://t.co/dF6YJteiDppic.twitter.com/fnCxSwo5En

— Reuters Top News (@Reuters) September 27, 2017

A revisão das leis do trabalho em França valeram a Macron considerável contestação nas ruas e o reforço do chamado pilar social europeu, ligado ao emprego, é um dos maiores desafios que também se colocará ao eixo franco-alemão.

A analista política Claire Dhéret, do Centro de Estudos Europeus, refere que “uma das vantagens do Presidente Macron é, naturalmente, a presença dos Verdes na próxima coligação alemã e ele tentará, concerteza, capitalizar esse factor”.

“Mas o facto é que, para a chanceler, será muito complicado promover o consenso entre os seus parceiros da coligação, isto é, os liberais e os verdes”, acrescentou a analista em entrevista à euronews.

Emmanuel Macron calls on Europe to be better. Now what he needs is some detail https://t.co/F0Mvxt8UwHpic.twitter.com/JfS6o0mb1x

— Bloomberg Brexit (@Brexit) September 27, 2017

Além de ter menos margem de manobra, Angela Merkel tende a ser mais comedida no espírito reformador da zona euro, para a qual Macron propõe novos instrumentos orçamentais e institucionais.

“Vou propor uma nova parceria com a Alemanha. Não concordaremos com tudo num primeiro momento, mas discutiremos tudo. Para aqueles que dizem que a tarefa é impossível, a minha resposta é que vocês se acostumaram à resignação. Eu não”, disse Macron sobre a sua confiança na disponibilidade de Angela Merkel.

Um dos testes ao eixo franco-alemão é o Brexit e a definição da futura parceria com o Reino Unido, tema de um jantar dos líderes da União Europeia, quinta-feira, na Estónia, na véspera de uma cimeira sobre a economia digital, organizada pelo país que preside rotativamente à União.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Com má experiência nas presidenciais, Macron ataca as "fake news"

Líderes da UE sob pressão de Zelenskyy para reforçar as defesas aéreas da Ucrânia

Debate sobre o futuro do Pacto Ecológico reacende profundas divisões