EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

UE condena captura de navios ucranianos pela Rússia

UE condena captura de navios ucranianos pela Rússia
Direitos de autor 
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button

A União Europeia condenou a captura dos dois navios ucranianos pela armada russa no Mar de Azov. Tusk pede a Moscovo que acabe com as provocações.

PUBLICIDADE

A União Europeia condena o ataque russo aos navios ucranianos na Crimeia. Num tweet, esta segunda-feira, o presidente do Conselho, Donald Tusk, pede à Rússia que entregue os marinheiros e os navios ucranianos e que acabe com as provocações, referindo que a Europa se mantém unida no apoio à Ucrânia. 

A Rússia acusa as embarcações de terem invadido águas russas e chegou a encerrar o estreito de Kerch, já reaberto esta segunda-feira.

Dois navios ucranianos da guarda costeira foram impedidos de entrar no Mar de Azov. O embaixador da Rússia junto da da União Europeia, Vladimir Chizhov, dá a seguinte explicação: "Por razões geológicas, a passagem para o mar de Azov através do canal de Kerch-Yenikale é uma empresa difícil, porque este canal é estreito e tem que ser regularmente aprofundado. É por isso que os navios navegam até lá em comboios escoltados por navios da guarda costeira da Rússia".

Desde o mês de Abril, a armada russa já submeteu a inspeção cerca de 150 navios que saíam ou passavam para portos da Ucrânia, tornando muita lenta a ciraculação dos cargueiros no Mar de Azov.

Bruno Lette, do Fundo Marashal alemão, afirma que "isso deve ser feito de acordo com a lei Internacional em coordenação com outros países que também usam essa passagem. A cortesia deveria levar a Rússia, pelo menos, a coordenar-se com a Ucrânia, a fim de embarcar nesses navios para inspecioná-los ou para ajudá-los a passar pelo estreito. Mas, a Rússia não tem feito nada disso", afirma.

É mais um braço de ferro a alimentar a tensão russo-ucraniana e, por consequência, a envenenar as relações entre Bruxelas e Moscovo.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Trump cancela reencontro com Putin por causa... da Ucrânia

Emmanuel Macron em missão no Pacífico para travar os motins na Nova Caledónia

Ucrânia não consegue garantir eletricidade pela primeira vez desde a invasão russa