EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Cientistas belgas estudam anticorpo contra Covid-19

Cientistas belgas estudam anticorpo contra Covid-19
Direitos de autor Euronews
Direitos de autor Euronews
De  Isabel Marques da Silva
Publicado a Últimas notícias
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Anticorpo encontrado no sistema de um lama poderá ajudar a descobrir um tratamento para aumentar a imunidade dos infetados por Covid-19

PUBLICIDADE

A Bélgica é um dos países que investiga tratamentos contra o coronavírus e uma unidade cientifica da Universidade de Ghent anunciou a descoberta de um anticorpo, no corpo do lama, que poderá ajudar o corpo humano a responder ao Covid-19.

"A descoberta tem potencial porque este anticorpo poderá neutralizar o novo coronavírus. Este anticorpo é especial e tem origem num animal - o lama -, o que o torna pouco habitual. Mas penso que descobrimos um aspeto do vírus que é vulnerável e que pode ser inibido usando este anticorpo de origem animal", explicou o virologista Xavier Saelens, em entrevista à euronews.

Esta descoberta não terá, para já, tradução numa vacina que proteja da contaminação. O objetivo imediato é aumentar a taxa de sobrevivência dos infetados.

"A nossa descoberta sobre este anticorpo não leva a uma vacina no estrito senso. Pode-se usar vacinas apenas nas pessoas que estão saudáveis. Com este anticorpo que descobrimos poder-se-à, talvez, aumentar de forma imediata a imunidade do paciente ou de uma pessoa potencialmente exposta ao vírus", disse Xavier Saelens.

Deverão ser necessários, pelo menos, seis meses para apurar o tratamento e a equipa tenta tudo para acelerar o processo, mas sem pôr em risco a sua própria saúde.

"No laboratório tomamos todas as precauções. Somos um grupo que debate, que trabalha em conjunto numa experiência mas usamos sempre máscaras de proteção simples", concluiu.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Josep Borrell prepara saída de cena com visitas aos países bálticos

Ex-deputada ucraniana morta a tiro em Lviv

Chipre celebra 50 anos da invasão turca