EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Covid-19: Portugueses criam plataforma "acolhe um herói"

Covid-19: Portugueses criam plataforma "acolhe um herói"
Direitos de autor Euronews
Direitos de autor Euronews
De  Isabel Marques da SilvaLaura Ruiz
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Uma plataforma online denominada "acolhe um herói", foi criada por uma agência de comunicação portuguesa para colocar em contacto os proprietários de casas vazias com os profissionais de saúde.

PUBLICIDADE

Num casa lisboeta na qual não vive, a enfermeira Marta encontrou o conforto de um quarto para descansar quando termina de tratar pacientes com Covid-19 nos Hospital Fernando da Fonseca (Amadora).

"É muito importante que tenhamos um lugar para dormir e tomar um banho sem ser com os nossos familiares , a fim de protegê-los ao máximo", disse Marta, em entrevista à euronews.

Esta enfermeira é uma das beneficiárias do serviço dispinibilizado por uma plataforma online intitulada '' Host a hero '', que significa albergue um herói, criada por uma agência de comunicação portuguesa para colocar em contacto os proprietários de casas vazias com os profissionais de saúde.

Temos uma equipa que está apenas a trabalhar neste projeto e vai continuar assim porque este combate vai levar mais alguamas semanas. É muito importante sermos muito rápidos. Quando um profissional de saúde solicita uma casa," é porque existe uma necessidade real. Devemos agir rapidamente para encontrar o local que corresponda à necessidade, criar essa ligação e ajudar o máximo que pudermos", disse Miguel Moura, membro da plataforma.

O site tem informação em várias línguas para ajudar médicos e enfermeiros de outros países em situações semelhantes.

"Passo os meus dias, como muitos outros trabalhadores em todo o mundo, focada em combater este vírus pandémico, o Covid-19. No entanto, à noite, a minha ansiedade está relacionada à possibilidade de infetar minha família", explica a médica Raquel, que trabalha no Centro de Saúde de Alcabideche.

Os profissionais de saúde são um dos setores mais afetado pela pandemia, com a Organização Mundial de Saúde a estimar que cerca de 10 por cento desta força laboral seja infetada.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Covid-19 arrasa rendimentos dos motoristas de taxi

Europeus confinados aplaudem profissionais de saúde

Ministros da saúde europeus reúnem-se em Bruxelas