EventsEventosPodcasts
Loader
Find Us
PUBLICIDADE

Bruxelas empresta €100 mil milhões para travar desemprego

Bruxelas empresta €100 mil milhões para travar desemprego
Direitos de autor Michael Probst/Copyright 2020 The Associated Press. All rights reserved
Direitos de autor Michael Probst/Copyright 2020 The Associated Press. All rights reserved
De  Isabel Marques da SilvaMaria Psara
Publicado a Últimas notícias
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button

SURE é um programa da Comissão Europeia para dar condições aos Estados-membros de garantir trabalhos de curta duração, explicou a presidente Ursula von der Leyen

PUBLICIDADE

A Comissão Europeia pretende mobilizar 100 mil milhões de euros para um programa que trave uma nova vaga de desempregados.

Denominado SURE, visa dar condições aos Estados para pagar esquemas de trabalho de curta duração, explicou a presidente, Ursula von der Leyen: "É um apoio europeu ao trabalho de curta duração para mitigar o efeito da recessão, mantendo as pessoas a trabalhar e permitindo que as empresas retornem ao mercado com um vigor renovado".

"A Comissão Europeia concederá empréstimos aos Estados-membros que deles precisem para fortalecer os programas de trabalho de curta duração. Esses programas já existem e outros estão a ser projetados em todo o território da União Europeia, para que o SURE possa beneficiar todos os Estados-membros que desejam usá-lo. Poderemos mobilizar 100 mil milhões de euros para fazer isso", acrescentou.

A paralisação económica por causa do isolamento da população, a fim de travar a pandemia de Covid-19, está a dizimar postos de trabalho a cada dia que passa.

Os sindicatos europeus estimam que já foram levados a cabo um milhão de despedimentos entre os contratados por conta de outrem.

Num comunicado, a Confederação Europeia de Sindicatos congratulou-se com o anúncio deste programa, mas pede que sejam, também, contemplados "os trabalhadores independentes e os tarefeiros, em todos os setores e para empresas de todas as dimensões".

Na previsão que apresentou na semana passada, o Banco de Portugal admitiu que a taxa de desemprego possa subir acima dos 10 por cento em 2020, quando no ano passado foi de 6,5 por cento.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Apoio da UE aos desempregados chega a 16 países

Coronavírus naufraga setor pesqueiro espanhol

Marcas de moda arregaçam as mangas e vestem pessoal médico