Costa confiante em acordo sobre o Pilar Social Europeu

António Costa
António Costa Direitos de autor JOSÉ SENA GOULÃO/ 2021 LUSA - Agência de Notícias de Portugal, S.A.
De  Ricardo Figueira
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Arranca esta sexta-feira no Porto a Cimeira Social da União Europeia, que antecede o encontro informal de chefes de Estado e governo.

PUBLICIDADE

No Porto, ultimam-se os preparativos para a Cimeira Social - uma reunião, esta sexta-feira que junta os representantes dos vários países da União Europeia para discutir a política social, organizada pela presidência portuguesa e que antecede o encontro informal dos chefes de Estado e governo, no fim de semana, durante o qual se espera um compromisso escrito dos 27 Estados-membros para a implementação do Pilar Europeu dos Direitos Sociais, um conjunto de 20 princípios que visa colocar a dimensão social no centro das políticas europeias. 

O primeiro-ministro português António Costa está confiante: "A possibilidade de haver esse acordo, em si, será um marco muito importante. Se, no dia a seguir, o Conselho europeu, não obstante as diferentes visões que os 27 têm sobre qual deva ser o papel da União e dos Estados-membros em termos de política social, conseguirmos ter uma declaração comum de apoio ou de endosso ao Plano de Ação, isso será um marco. Depois temos, naturalmente, todo o trabalho pela frente, de concretizar este plano de ação apresentado em março passado", disse Costa.

António Costa realça o Pilar Social como um dos grandes objetivos da presidência portuguesa. O objetivo, segundo o primeiro-ministro, é que as políticas de recuperação pós-Covid, tal como as políticas de transição ecológica, sejam acompanhadas por programas de apoio social que não deixem ninguém ao abandono.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Porto acolhe líderes europeus para a discussão de direitos sociais

Bélgica investiga rede russa suspeita de pagamentos a eurodeputados

Ativistas exigem tributação dos super-ricos ao Parlamento Europeu