EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Parlamento Europeu aprova Lei Europeia do Clima

Parlamento Europeu aprova Lei Europeia do Clima
Direitos de autor Mark Humphrey/Copyright 2017 The Associated Press. All rights reserved.
Direitos de autor Mark Humphrey/Copyright 2017 The Associated Press. All rights reserved.
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Legislação terá de ser adotada pelo Conselho para entrar em vigor

PUBLICIDADE

Estão lançadas as bases para atingir a neutralidade carbónica até 2050. Com 442 votos a favor, 203 contra e 51 abstenções, o Parlamento Europeu aprovou a Lei Europeia do Clima.

A "lei das leis", como a qualificou a presidente da Comissão Europeia, deverá tornar a Europa numa força-motriz e num exemplo da luta contra as alterações climáticas.

"Estou muito contente. Vejo isto como a primeira página neste novo caminho que vamos ter na Europa e na União Europeia rumo à neutralidade climática. E é histórico passarmos de ser uma União do Carvão e do Aço para sermos neutros para o clima. É um dia muito bom", sublinhou a eurodeputada socialista relatora do texto, Jytte Guteland.

A legislação estipula uma redução dos gases com efeito de estufa até 2030 em pelo menos 55%, comparativamente aos níveis de 1990. Para o eurodeputado Pascal Canfin (Grupo Renovar a Europa), que preside à comissão de Ambiente do Parlamento Europeu, trata-se de um esforço considerável: "É um compromisso. Todos sabemos que o Parlamento estava pronto para ir mais longe. Mas com esta lei do clima iremos duas vezes e meia mais rápido na próxima década do que na última."

Com a Lei do Clima será criado um comité científico consultivo. Terá como objetivo avaliar a coerência das políticas europeias e os progressos feitos pela União Europeia. Mas estes elementos não convenceram todos os grupos políticos.

Para o eurodeputado Michael Bloss, do Grupo dos Verdes/ Aliança Livre Europeia, com este texto não será possível limitar a elevação da temperatura global a cerca de 1.5°C: "Relativamente ao que temos sobre a mesa agora com a Lei do Clima, a ciência diz-nos que levará a um aumento da temperatura global entre 2°C e os 3°C. Por isso, falha claramente o Acordo de Paris."

Do lado conservador, não há espaço para a complacência. Esta transformação terá consequências, para a população e para os Governos, referiu a eurodeputada Anna Zalewska, do Grupo dos Conservadores e Reformistas Europeus: "O documento adotado é dececionante. Não há dinheiro atualmente. Sem o financiamento adequado, não será possível alcançar uma transformação justa. A Lei do Clima tem ordens e proibições e resultará não só em novos impostos como também num aumento do custo de vida diário."

A Lei do Clima é considerada um elemento-chave do Pacto Ecológico Europeu. Terá agora de ser adotada pelo Conselho para entrar em vigor. A 14 de julho, a Comissão deverá apresentar novas propostas para fortalecer as ambições climáticas da União Europeia.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

PSD vence legislativas antecipadas na Madeira sem maioria absoluta

Presidente da Lituânia reeleito para um segundo mandato

Presidente e primeiro-ministro da Geórgia trocam farpas sobre lei da influência estrangeira