EventsEventos
Loader

Find Us

FlipboardLinkedin
Apple storeGoogle Play store
PUBLICIDADE

Chanceler alemão Olaf Scholz faz primeira visita oficial a Bruxelas

Chanceler alemão Olaf Scholz faz primeira visita oficial a Bruxelas
Direitos de autor TOBIAS SCHWARZ/AFP
Direitos de autor TOBIAS SCHWARZ/AFP
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Scholz disse que o governo alemão "não pode ficar à margem da política europeia" e que quer uma "União Europeia forte e soberana"

PUBLICIDADE

Olaf Scholz diz que o Governo que lidera quer trabalhar para desenvolver uma "União Europeia forte e soberana."

De visita a Bruxelas - a primeira como chanceler alemão - foi recebido por rostos familiares como o da presidente da Comissão Europeia, Ursula von der Leyen.

Juntos manifestaram, esta sexta-feira, o compromisso de trabalhar para lidar com questões urgentes que o bloco comunitário enfrenta.

"Queremos garantir uma União Europeia forte e soberana e isso também significa termos uma estratégia bem coordenada no que diz respeito à política externa. A grande ambição agora é garantir que a segurança e a defesa na Europa possam ter sucesso e que qualquer ameaça a um país individual não é tolerada. Estamos profundamente preocupados com os eventos que estão a acontecer na fronteira da Ucrânia com a Rússia", sublinhou, em conferência de imprensa, o chanceler alemão.

Scholz manteve-se, no entanto, vago quando foi questionado se consideraria a suspensão do gasoduto Nord Stream 2 - que fornecerá gás natural da Rússia à Alemanha através do Mar Báltico -  como uma possível sanção contra Moscovo.

O chanceler alemão enumerou igualmente outras questões que considera urgentes como a gestão da pandemia e do impacto económico da mesma.

As alterações climáticas também estão à cabeça das prioridades de Scholz, mas este é um assunto que promete gerar alguma fricção com Estados-membros como França.

Ao contrário do aliado, Berlim está empenhada em eliminar a energia nuclear.

"Esta será uma das primeiras grandes questões do eixo franco-alemão e [será preciso ver] como Bruxelas vai lidar com isso. França está claramente comprometida com a energia nuclear e argumenta que não emite gases com efeito de estufa, o que é objetivamente verdadeiro, e que, por isso, deveria ser considerada uma tecnologia verde. A Alemanha, por outro lado, está claramente comprometida em eliminar a energia nuclear muito rapidamente", ressalvou, em entrevista à Euronews, Guntram Wolff, diretor do think tank Bruegel.

Durante o périplo europeu, que começou em Paris, o chanceler alemão encontrou-se ainda com Charles Michel, o presidente do Conselho da União Europeia.

Tem ainda encontro marcado com o secretário-geral da NATO, Jens Stoltenberg.

A reunião acontece em plena contagem decrescente para a cimeira europeia da semana que vem, em Bruxelas. A segurança e defesa são temas que constam da agenda.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Chanceler alemão Scholz visita Roma e pede UE mais "unida e forte"

Ativista italiana candidata às eleições europeias passa para prisão domiciliária na Hungria

Partido de extrema-direita Alternativa para a Alemanha expulso do grupo Identidade e Democracia