Acordo político sobre novo pacote de sanções contra a Rússia

Pacote contempla teto ao preço do petróleo russo
Pacote contempla teto ao preço do petróleo russo Direitos de autor Gaetano Adriano Pulvirenti/AP
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Medidas restritivas deverão entrar em vigor esta quinta-feira. Pacote surge no rescaldo de anexação de territórios ucranianos por Moscovo, considerada ilegal

PUBLICIDADE

A partir de amanhã, a Rússia terá de lidar com novas sanções europeias. Os 27 Estados-membros da União Europeia (UE) chegaram a acordo político sobre o oitavo pacote de medidas restritivas, em reposta à anexação recente de territórios ucranianos por parte de Moscovo, considerada ilegal.

O pacote entra em vigor esta quinta-feira.

Contempla um teto ao preço do petróleo russo, mas os limites ainda terão se ser afinados entre os países do G7 e a União Europeia.

Para o eurodeputado italiano do grupo do Partido Popular Europeu e antigo presidente do Parlamento Europeu, Antonio Tajani, o importante agora é a demonstração de unidade europeia: "é um grande erro trabalhar sozinho. Precisamos de mais Europa e de menos interesses nacionais. Essa é a questão central. Se queremos reagir a Vladimir Putin precisamos de solidariedade europeia, todos juntos, em defesa do direito internacional."

Empresas de seguros e navegação ficarão impedidas de prestar serviços a navios-tanque russos que transportem petróleo acima de determinado custo.

A medida não agradou a países como a Grécia, Chipre e Malta. Perante o receio de impacto económico, beneficiaram de concessões para contornar o problema.

Será criado um sistema de vigilância para mitigar efeitos adversos, mas na Grécia continua-se à espera de perceber como é que a indústria naval reage às novas sanções.

"Uma grande parte do petróleo russo está a ser transportada através de embarcações que pertencem à indústria naval grega. É por isso que estou à espera de uma resposta, para perceber se este aspeto é benéfico para o impacto das sanções e se está em linha com o governo grego. Quero uma resposta não só da indústria naval grega que está envolvida no transporte como também do executivo grego, que aprova as sanções", sublinhou Dimitrios Papadimoulis, vice-presidente do Parlamento Europeu.

O novo pacote de sanções também contempla novas restrições às importações de aço ou plásticos, por exemplo, para privar a Rússia de cerca de sete mil milhões de euros em receitas.

Além disso inclui a proibição de exportações de produtos, tecnológicos ou para aviação, para vedar ao Kremlin o acesso a tecnologias-chave para alimentar a máquina de guerra contra a Ucrânia.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Macron enfrenta manifestantes na Feira de Agricultura de Paris

Cólera dos agricultores em Espanha e França está para durar

Comissão Europeia desbloqueará 137 mil milhões de euros para Polónia