Irão liberta trabalhador humanitário belga

Manifestação pela libertação de Vandecasteele em Bruxelas (arquivo)
Manifestação pela libertação de Vandecasteele em Bruxelas (arquivo) Direitos de autor KENZO TRIBOUILLARD/AFP or licensors
De  Euronews com AFP
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Primeiro-ministro da Bélgica anuncia libertação do trabalhador humanitário Olivier Vandecasteele

PUBLICIDADE

O trabalhador humanitário belga Olivier Vandecasteele, de 42 anos, detido no Irão durante 455 dias, foi libertado e está de regresso à Bélgica, anunciou o primeiro-ministro Alexander de Croo.

"Ontem à noite, Olivier foi levado para Omã, onde foi assistido por uma equipa de soldados e diplomatas belgas. Esta manhã foi submetido a uma série de exames médicos para avaliar o seu estado de saúde e permitir-lhe regressar nas melhores condições possíveis", declarou o chefe do governo belga. 

"Se tudo correr como planeado, ele estará connosco esta noite. Finalmente em liberdade", acrescentou.

O trabalhador humanitário foi condenado a um total de 40 anos de prisão e 74 chicotadas, por alegada espionagem contra o Irão, cooperação com os Estados Unidos, contrabando de moeda e branqueamento de capitais.

As acusações e as condições de detenção foram descritas como "arbitrárias", "maus tratos" e uma "violação flagrante do direito internacional" por um grupo de peritos das Nações Unidas, num relatório divulgado em janeiro.

Troca de prisioneiros leva à libertação de condenado por terrorismo

A sua libertação foi possível na sequência de uma troca de prisioneiros entre o Irão e a Bélgica, informou o Ministério dos Negócios Estrangeiros de Omã, em comunicado, informação entretanto confirmada pelo governo do Irão.

"Asadullah Esadi, o diplomata inocente do nosso país, que esteve ilegalmente detido na Alemanha e na Bélgica durante mais de dois anos contra o direito internacional, está agora a regressar à sua terra natal e em breve entrará no nosso querido Irão. Agradeço ao Sultanato de Omã pelos seus esforços positivos neste sentido", refere um comunicado iraniano.

Esadi tinha sido condenado a 20 anos de prisão, em 2021, por ter planeado um atentado bombista falhado contra um grupo da oposição iraniana em Paris (França).

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Europeus detidos no Irão enfrentam abusos físicos e psicológicos

Bélgica e Irão confrontam-se em troca de prisioneiros

Milhares exigem libertação de belga condenado no Irão a 40 anos e 74 chicotadas