EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Ministros chegam a acordo sobre reforma do mercado da eletricidade da UE

Uma torre de transmissão ergue-se num campo nos arredores de Frankfurt, Alemanha, enquanto o sol nasce a 6 de junho de 2023\.
Uma torre de transmissão ergue-se num campo nos arredores de Frankfurt, Alemanha, enquanto o sol nasce a 6 de junho de 2023\. Direitos de autor Michael Probst/Copyright 2023 The AP. All rights reserved
Direitos de autor Michael Probst/Copyright 2023 The AP. All rights reserved
De  Euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied
Artigo publicado originalmente em inglês

Os ministros com a pasta da Energia chegaram a um acordo, na terça-feira, sobre a reforma do mercado da eletricidade na União Europeia (UE), que visa proteger os consumidores da volatilidade dos preços e acelerar a implantação das energias renováveis.

PUBLICIDADE

As conversações estiveram paradas durante meses devido a um impasse entre a França e a Alemanha sobre os chamados Contratos por Diferença (CDD), que são contratos a longo prazo que permitem aos governos captar as receitas excedentárias dos produtores de energia quando os preços sobem exponencialmente, tal como no ano passado.

A França queria que as verbas desses impostos extraordinários pudessem ser usadas no setor da energia nuclear, da qual o seu mercado energético depende fortemente, mas o governo de Berlim temia que criasse uma vantagem competitiva injusta, que distorceria o mercado europeu.

As duas partes chegaram a um compromisso, uma semana depois de o presidente francês, Emmanuel Macron, se ter encontrado com o chanceler alemão, Olaf Scholz, em Hamburgo, para debater as diferenças e a Alemanha conseguiu garantias da Comissão Europeia de que criará mecanismos de controlo.

Graças a este acordo, os consumidores de toda a UE poderão beneficiar de preços de energia muito mais estáveis, de uma menor dependência do preço dos combustíveis fósseis e de uma melhor proteção contra crises futuras.
Teresa Ribera Rodríguez
Ministra para a Transição Ecológica, Espanha

A reforma, que ainda tem de ser negociada com o Parlamento Europeu, promete dar estabilidade a longo prazo aos mercados da eletricidade da UE, evitando picos inesperados nas faturas dos consumidores.

"Tenho orgulho em dizer que hoje demos um passo estratégico para o futuro da UE. Conseguimos um acordo que seria inimaginável há apenas alguns anos", afirmou Teresa Ribera Rodríguez, ministra para a Transição Ecológica de Espanha, país que preside, atualmente, ao Conselho da UE.

"Graças a este acordo, os consumidores de toda a UE poderão beneficiar de preços de energia muito mais estáveis, de uma menor dependência do preço dos combustíveis fósseis e de uma melhor proteção contra crises futuras. Vamos também acelerar a implantação das energias renováveis, uma fonte de energia mais barata e mais limpa para os nossos cidadãos", acrescentou.

A reformulação do mercado da eletricidade foi proposta pela Comissão Europeia, em março, para conter a subida em flecha dos preços da energia na sequência da invasão da Ucrânia pela Rússia.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Em 2024, gregos podem optar por conta da eletricidade fixa ou variável

Qual será o papel das energias renováveis na Madeira, num contexto de alterações climáticas?

Combustíveis fósseis ainda dominam apesar do crescimento das energias renováveis