"Pallywood" ou a acusação israelita de encenações de mortos e feridos

The Cube
The Cube Direitos de autor Hatem Ali/AP
De  Sophia Khatsenkova
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

No momento em que o exército israelita avança no ataque terrestre a Gaza, vários utilizadores das redes sociais afirmam que os habitantes de Gaza estão a encenar o seu sofrimento e até a fingir ferimentos e mortes. Vamos à verdade por detrás disto.

PUBLICIDADE

Este vídeo viral foi partilhado no X, anteriormente conhecido como Twitter, por Hananya Naftali, um antigo membro da equipa de comunicação do primeiro-ministro israelita Netanyahu.

Naftali e outros insinuam que os habitantes de Gaza estão a fingir ferimentos para obter a simpatia dos utilizadores da Internet e da comunidade internacional - apelidando a encenação de "Pallywood".

A expressão não é nova e foi cunhada no início dos anos 2000. É uma mistura das palavras "Palestina" e "Hollywood" e é utilizada como termo depreciativo por pessoas que acreditam que os palestinianos estão a utilizar actores de simulação de crises e a vitimizar-se a si próprios.

Mas ao fazer uma pesquisa de imagens inversa, descobrimos que o vídeo original do homem a caminhar entre escombros foi publicado a 26 de outubro.

O homem no vídeo é Saleh Aljafarawim, que publica vários vídeos sobre o conflito na Faixa de Gaza. Ao consultar a sua conta no Instagram, não encontramos imagens dele num hospital

O segundo vídeo do homem na cama de hospital foi efetivamente publicado no TikTok em agosto de 2023, quase dois meses antes de o Hamas efetuar o ataque de 7 de outubro contra Israel

Outro vídeo identifica-o como um jovem palestiniano do campo de Nour Shams, situado na Cisjordânia, a cerca de 100 km de Gaza.

Encontrámos mais vídeos partilhados do mesmo jovem amputado, que afirmam chamar-se Mohammad Zendeq.

Um artigo do site pró-palestiniano de língua inglesa Palsolidarity publicou um artigo, bem como uma fotografia idêntica, do mesmo jovem numa cama de hospital no dia 25 de agosto

Segundo o artigo, Mohammed Zendiq, um adolescente de 16 anos, perdeu a perna no dia 24 de julho, "durante a invasão do campo de refugiados de Nour Shams, perto de Tulkarem, pelas forças de ocupação israelitas".

Segundo o Palsolidarity, o jovem, portador de um bilhete de identidade israelita, visitava o pai no campo de Nour Shams e estava na rua quando sentiu uma explosão. O adolescente foi então "levado de urgência para um hospital israelita, onde lhe foi amputada a perna direita mesmo acima do joelho". Foi tratado no hospital durante um mês e teve alta no dia 21 de agosto

Isto significa que o jovem na cama do hospital não é o mesmo que o homem visto a caminhar entre os escombros e não pode ser usado como prova de que os palestinianos estão a encenar ferimentos ou mortes para ganhar a simpatia da comunidade internacional.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

The Cube: Conta falsa da Mossad divulga conteúdo violento anti-palestiniano

Viúva de Navalny já tem outra pessoa? Iulia Navalnaya não escapa à desinformação online

Macron cancelou visita a Kiev devido a plano do governo ucraniano para o assassinar?