O capitão do navio que embateu na ponte de Baltimore era ucraniano?

O acidente deu origem a uma onda de teorias da conspiração
O acidente deu origem a uma onda de teorias da conspiração Direitos de autor Steve Helber/Copyright 2024 The AP. All rights reserved
Direitos de autor Steve Helber/Copyright 2024 The AP. All rights reserved
De  Sophia Khatsenkova
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied
Artigo publicado originalmente em inglês

A destruição da ponte de Baltimore deu origem a uma enxurrada de teorias da conspiração. A que ganhou muita força nas redes sociais é a de que a Ucrânia poderia ser a culpada.

PUBLICIDADE

Um navio porta-contentores chamado Dali perdeu a propulsão e embateu num pilar da ponte Francis Scott Key, em Batimore, a 26 de março, matando pelo menos seis pessoas.

Muito rapidamente, os utilizadores das redes sociais começaram a culpar toda a gente pelo incidente - desde os liberais a Israel e à Ucrânia.

Um exemplo que se tornou viral é o de que Kiev está por detrás das seguintes alegações: o capitão do navio é de nacionalidade ucraniana.

"O capitão do navio que abalroou a ponte em Baltimore era cidadão ucraniano", escreveram vários utilizadores no Twitter.

"O ucraniano está a ficar com os louros do ato e a dizer que a Europa é a próxima, por não ter defendido a democracia e ajudado a Ucrânia quando precisou", postou outro.

Uma das afirmações destas contas é mostrada numa captura de ecrã do perfil de um capitão ucraniano de um site chamado Baltic Shipping.

O site é uma espécie de LinkedIn que liga pessoas do setor da navegação à procura de trabalho.

Os utilizadores podem atualizar os seus perfis com informações sobre o seu emprego e os navios em que trabalharam anteriormente.

Havia, de facto, um perfil de um ucraniano que tinha sido capitão do navio Dali - no entanto, isso foi há cerca de oito anos, de março a julho de 2016. O seu perfil já não está visível, mas encontrámos capturas de ecrã arquivadas.

O Synergy Marine Group, proprietário do navio Dali, também divulgou um comunicado afirmando que a tripulação de 22 membros era composta por cidadãos indianos.

Mas a nacionalidade do capitão que estava a operar o barco quando o acidente aconteceu não é relevante. Isso porque, quando um navio estrangeiro entra no Porto de Baltimore, é um funcionário do Estado de Maryland que tem de conduzir o navio até à doca, segundo a Associação de Pilotos de Maryland.

"Cada navio envolvido em comércio exterior que chega aos portos de Maryland é obrigado a contratar um especialista local em manuseio de navios, conhecido como Piloto, para navegar o navio com segurança até o porto", diz o site da associação.

Além disso, as autoridades que investigam o acidente disseram logo no início que não havia qualquer indicação de que o acidente tivesse sido um ato deliberado.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Seis trabalhadores desaparecidos em colapso de ponte nos EUA dados como mortos

Ponte em Baltimore colapsa após embate de navio. Duas pessoas resgatadas e várias desaparecidas

O Irão começou a atacar Telavive? Não, e a mentira veio do X