EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Programa da NVIDIA apoia 4500 empresas europeias em fase de arranque

Um sinal para um edifício da Nvidia é mostrado em Santa Clara, Califórnia, a 31 de maio de 2023
Um sinal para um edifício da Nvidia é mostrado em Santa Clara, Califórnia, a 31 de maio de 2023 Direitos de autor Jeff Chiu/Copyright 2023 The AP. All rights reserved
Direitos de autor Jeff Chiu/Copyright 2023 The AP. All rights reserved
De  Anna Desmarais
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Artigo publicado originalmente em inglês

O programa Inception da NVIDIA apoia 4.500 empresas europeias em fase de arranque que trabalham no domínio da inteligência artificial (IA).

PUBLICIDADE

Em 2018, Stijn Verrept sabia que a sua empresa precisava de encontrar uma solução não convencional para desenvolver uma lâmpada inteligente de qualidade que detetasse o movimento da queda de uma pessoa idosa e notificasse os prestadores de cuidados.

Verrept, fundador da startup belga Nobi, tentou calcular manualmente a distância a que uma pessoa poderia cair, montando câmaras no teto ou nos próprios candeeiros, sem sucesso. A tecnologia destina-se a permitir que os idosos permaneçam nas suas casas.

Decidiram então recorrer à inteligência artificial (IA), tendo a empresa escolhido os microchips NVIDIA pelo seu elevado poder de processamento e pela capacidade de treinar rapidamente as lâmpadas.

Em 2020, a Nobi e as suas lâmpadas inteligentes aderiram ao programa Inception da NVIDIA "para ajudar as startups a evoluir mais rapidamente por meio de tecnologia de ponta", de acordo com o site da empresa.

A Nobi resgatou 100 000 dólares (92 000 euros) em créditos NVIDIA para armazenar o seu treino de IA na nuvem da empresa, onde ainda hoje permanece.

"Ajudou muito, porque cada dólar que não se gasta em custos de cloud, pode ser investido no desenvolvimento, e qualquer startup de tecnologia é muito dependente do desenvolvimento", disse Verrept à Euronews Next.

A Nobi é uma das 4.500 empresas na Europa e mais de 17.000 em todo o mundo que são apoiadas pelo programa, de acordo com um porta-voz da NVIDIA.

Através do Inception, a NVIDIA oferece um avanço a startups de IA selecionadas no continente com "preços preferenciais" nas suas placas gráficas, cursos e eventos exclusivos, de acordo com o seu site.

É um dos três braços de investimento que a segunda empresa mais rentável do mundo está a utilizar para construir aquilo a que chama um ecossistema global de IA.

A NVIDIA "traz os ingredientes" para as empresas em fase de arranque no domínio da IA

Verrept calcula que o programa deu à sua empresa Nobi uma vantagem de 18 meses na construção do seu protótipo.

Na Moon Surgical, uma empresa franco-americana de tecnologia médica, o Inception permitiu-lhes aceder à tecnologia NVIDIA para construir um sistema de robótica cirúrgica concebido para ajudar os cirurgiões com precisão e controlo em procedimentos minimamente invasivos.

Jeffery Alvarez, diretor de operações da Moon Surgical, disse que ganharam três a seis meses para "aperfeiçoar os algoritmos e tornar o hardware mais fiável".

As startups inscritas na NVIDIA podem aceder a créditos de formação para cursos de programação e preços preferenciais nos produtos da empresa.

Em 2023, dois anos depois de a Moon Surgical se ter juntado à Inception, a NVIDIA tornou-se um investidor formal na Moon Surgical, dando à empresa 55 milhões de dólares (51,19 milhões de euros) numa ronda de financiamento.

"Criamos um ecossistema completo para podermos abordar e apoiar estas empresas que pretendem avançar para a IA [generativa].
Serge Palaric, vice-presidente da NVIDIA para a Europa, Médio Oriente e África

Mohamed (Sid) Siddeek, chefe do braço capitalista de risco da NVIDIA, Nventures, é agora um observador do conselho da empresa.

PUBLICIDADE

Serge Palaric, vice-presidente da NVIDIA para a Europa, Médio Oriente e África, disse à Euronews Next que o programa Inception faz parte de um "ecossistema" mais vasto da empresa que visa trabalhar com "todas as empresas de IA".

"Criámos um ecossistema completo para podermos abordar e apoiar estas empresas que querem avançar para a IA [generativa]", disse Palaric.

O objetivo do programa, continuou Palaric, é "levar os ingredientes" às empresas de IA para que possam desenvolver os seus próprios dispositivos, mas "não estão a desenvolver a aplicação para eles".

A NVIDIA investiu separadamente na Mistral AI e na Hugging Face, em França, e na Synthesia, no Reino Unido.

PUBLICIDADE

O investimento da NVIDIA nestas empresas em fase de arranque é anticoncorrencial?

Anne-Christine Witt, professora de direito antitrust na EDHEC Business School, em Lille, disse que os advogados antitrustes teriam de provar três coisas para apresentar um caso contra a NVIDIA ou qualquer programa de arranque apoiado por grandes empresas tecnológicas.

Estas incluem a prova de uma quota de mercado significativa, a utilização abusiva dessa quota para dissuadir a concorrência ou a utilização abusiva da sua posição dominante para adquirir empresas mais pequenas.

"Seria muito difícil dizer que [o programa Inception promove] um comportamento anticoncorrencial, desde que as startups sejam livres de mudar para outra tecnologia."
Anne-Christine Witt, professora de direito antitrust na EDHEC Business School de Lille

"Seria muito difícil dizer que [o programa Inception promove] um comportamento anti-concorrencial, desde que as empresas em fase de arranque sejam livres de mudar para outra tecnologia", afirmou Dewitt.

A quota de mercado da NVIDIA está estimada entre 70 e 95%, de acordo com os meios de comunicação social, mas Dewitt afirma que ter uma grande quota de mercado não é ilegal.

PUBLICIDADE

Não há condições para manter a Nobi com produtos NVIDIA ou no seu programa Inception, de acordo com o fundador Stijn Verrept. A Nobi ainda pode mudar para um modelo mais barato e mais eficiente, se este existir, disse ele.

É difícil para os profissionais da área antitrust saber se existem violações do controlo das concentrações ou outros factores devido à falta de transparência das empresas tecnológicas, explicou Dewitt.

"Não se trata de informação que conste de contratos que possamos disponibilizar às agências da concorrência", continuou Dewitt. "Muito disto está na caixa negra, é tudo mantido muito secreto".

A Comissão Europeia tem a Lei dos Mercados Digitais, uma nova lei que pode ajudar a investigar violações das leis antitrust por empresas de inteligência artificial "numa base casuística", disse um porta-voz à Euronews Next.

PUBLICIDADE

A Comissão recusou-se a comentar especificamente sobre a NVIDIA, que alegadamente enfrenta possíveis acusações antitrust em França, mas disse que está "a analisar alguns dos acordos que foram conduzidos (...) entre grandes operadores do mercado digital e criadores e fornecedores de IA generativa", e como estão a ter impacto na dinâmica do mercado.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Tentativa de assassinato de Trump: como a desinformação está a alimentar o fogo nas redes sociais

Elon Musk alega que a UE lhe ofereceu um "acordo secreto ilegal"

Bruxelas diz que X violou Lei dos Serviços Digitais. Elon Musk já respondeu - e foi polémico