Alemanha mantém oferta de passe de transportes públicos a 49€ por mês durante todo este ano

Um homem passa por um anúncio do Deutschlandticket (bilhete da Alemanha) numa estação de comboios em Frankfurt, Alemanha, segunda-feira, 1 de maio de 2023.
Um homem passa por um anúncio do Deutschlandticket (bilhete da Alemanha) numa estação de comboios em Frankfurt, Alemanha, segunda-feira, 1 de maio de 2023. Direitos de autor AP
De  Charlotte Elton
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Artigo publicado originalmente em inglês

Bilhete oferece viagens ilimitadas em todos os transportes públicos locais e regionais do país.

PUBLICIDADE

Desde o seu lançamento, em abril do ano passado, o bilhete de transporte público alemão, no valor de 49 euros por mês, tem-se revelado extremamente popular.

Mais de três milhões de alemães compraram o Deutschlandticket no primeiro mês após o seu lançamento.

O passe - que oferece viagens ilimitadas em todos os transportes públicos locais e regionais - foi saudado pelas autoridades como a "maior reforma dos transportes públicos na história da Alemanha".

O governo confirmou agora que o bilhete continuará a ser oferecido em 2024 e que o preço permanecerá o mesmo até ao final do ano.

No ano passado, os patrões dos transportes avisaram que o preço baixo era insustentável.

As empresas locais e regionais estão a ser pressionadas pela elevada inflação, disse Ingo Wortmann, chefe da autoridade de transportes MVG de Munique, mas as receitas dos bilhetes continuam baixas.

"Até agora, a política tem absorvido a diferença em relação às receitas anteriores da empresa de transportes", disse ele ao Abendzeitung, um jornal diário da Alemanha.

Esperava-se um aumento de preços este mês, mas os ministros dos transportes decidiram reafetar os fundos não gastos de 2023 para financiar o regime este ano.

O que é o Deutschlandticket?

Também conhecido como "D-ticket", o passe custa atualmente 49€ por mês, ou seja, cerca de 1,60€ por dia.

É válido em todos os autocarros urbanos, metropolitanos e elétricos nos municípios de toda a Alemanha, bem como nos transportes de curta e média distância, incluindo comboios. 

Não pode ser utilizado nos comboios de longa distância operados pela DB Fernverkehr AG (incluindo RE) ou por outros fornecedores, como o FlixTrain (IC, EC, ICE).

O passe mensal é o sucessor do bilhete de 9€ por mês, testado no verão de 2022.

Introduzido para combater o aumento da inflação após a invasão da Ucrânia pela Rússia, o passe ultra-barato foi extremamente popular. Foram vendidos mais de 52 milhões de bilhetes para viagens em junho, julho e agosto.

Comboios estacionados nos carris em Berlim, na Alemanha. Os elétricos estão incluídos no passe mensal.
Comboios estacionados nos carris em Berlim, na Alemanha. Os elétricos estão incluídos no passe mensal.AP Photo

A associação alemã de empresas de transportes VDV afirma que o passe poupou cerca de 1,8 milhões de toneladas de emissões de carbono durante estes três meses.

O preço de 9€ era insustentável a longo prazo. Mesmo assim, o bilhete de 49€ também é muito popular, tendo feito cair o site da Deutsche Bahn quando foi lançado pela primeira vez.

Dos 3 milhões de pessoas que o compraram no primeiro mês após o seu lançamento, pelo menos 750 mil nunca tinham subscrito uma assinatura de transporte público.

No ano passado, as sugestões de aumento do preço foram objeto de uma forte oposição política. Nikolaus Gradl, especialista em tráfego da Câmara Municipal de Munique, descreveu a ideia de um aumento como "absurda".

"Para nós, o aumento dos preços não é uma opção", declarou ao Abendzeitung.

PUBLICIDADE

Por enquanto, os governos federal e estadual continuarão a financiar o défice, aliviando o impacto que a inflação e os custos materiais têm sobre as empresas de transportes públicos.

Possíveis alterações ao Deutschlandticket

A coligação federal dos semáforos está atualmente a trabalhar numa "regra familiar", que permitiria aos portadores de bilhetes trazer consigo um outro adulto e até três crianças com idades compreendidas entre os seis e os 14 anos, em determinados períodos.

Se as empresas de transporte concordarem, esta regra aplicar-se-ia aos fins de semana, feriados e depois das 20h00 nos dias úteis.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Greve dos trabalhadores ferroviários provocou caos nos transportes na Alemanha

Transportes públicos gratuitos em 50 cidades europeias

Luxemburgo tornou o transporte público gratuito: será que outros países poderiam fazer o mesmo?