A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Clima de desilusão após fecho da cimeira de Copenhaga

Clima de desilusão após fecho da cimeira de Copenhaga
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

A manifestação que reuniu milhares de pessoas nas ruas de Copenhaga é talvez a melhor ilustração para o “sabor amargo” deixado pela cimeira do Clima.

Os manifestantes antecipavam o desfecho da conferência internacional, criticando a falta de capacidade dos líderes mundiais para obterem um acordo vinculativo.

Após a conclusão da cimeira, o director-executivo da Greenpeace explicava que “o resultado não é justo, vinculativo ou ambicioso. Durante dois anos, desde Bali, [a Greenpeace] trabalhou para mostrar aos líderes a urgência de um conjunto de acordos que evitem alterações climáticas catastróficas e uma perda de vida que já acontece a um ritmo de 200 a 300 mil pessoas por ano devido aos impactos climáticos. Infelizmente, os nossos líderes não agiram com a urgência que requer a situação”.

Depois de duas semanas agitadas, as ruas de Copenhaga começam a voltar ao normal. Mas os habitantes da capital dinamarquesa não escondem a desilusão.

Um jovem diz claramente que o resultado da cimeira é “uma porcaria, um absoluto desperdício de tempo”.

Outra considera que “as delegações não tinham poder suficiente para negociar e esperaram pelos chefes de Estado. Deviam talvez ter feito ao contrário”.

Fica por saber se o resultado seria diferente, enquanto o Bella Center de Copenhaga fecha as portas num clima de consternação.