Última hora
This content is not available in your region

Clima de desilusão após fecho da cimeira de Copenhaga

Clima de desilusão após fecho da cimeira de Copenhaga
Tamanho do texto Aa Aa

A manifestação que reuniu milhares de pessoas nas ruas de Copenhaga é talvez a melhor ilustração para o “sabor amargo” deixado pela cimeira do Clima.

Os manifestantes antecipavam o desfecho da conferência internacional, criticando a falta de capacidade dos líderes mundiais para obterem um acordo vinculativo.

Após a conclusão da cimeira, o director-executivo da Greenpeace explicava que “o resultado não é justo, vinculativo ou ambicioso. Durante dois anos, desde Bali, [a Greenpeace] trabalhou para mostrar aos líderes a urgência de um conjunto de acordos que evitem alterações climáticas catastróficas e uma perda de vida que já acontece a um ritmo de 200 a 300 mil pessoas por ano devido aos impactos climáticos. Infelizmente, os nossos líderes não agiram com a urgência que requer a situação”.

Depois de duas semanas agitadas, as ruas de Copenhaga começam a voltar ao normal. Mas os habitantes da capital dinamarquesa não escondem a desilusão.

Um jovem diz claramente que o resultado da cimeira é “uma porcaria, um absoluto desperdício de tempo”.

Outra considera que “as delegações não tinham poder suficiente para negociar e esperaram pelos chefes de Estado. Deviam talvez ter feito ao contrário”.

Fica por saber se o resultado seria diferente, enquanto o Bella Center de Copenhaga fecha as portas num clima de consternação.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.