A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

De onde vêm os produtos que comemos?

De onde vêm os produtos que comemos?
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Questão de Melinda, que vive em Hunedoara, na Roménia : 
“- Bom dia, pretendo saber se existe um projeto a nível europeu que vise uma maior transparência em matéria de traçabilidade dos ingredientes dos produtos alimentares transformados (= comida processada), destinados à venda no mercado europeu, especificando a origem dos ingredientes na etiqueta. Obrigada”.
 
Resposta de Frédéric Vincent, porta-voz da Comissão Europeia para a Saúde e Consumidores:
 
“- O que é obrigatório na União Europeia, atualmente, é a etiquetagem de certos alimentos frescos. Principalmente carne de vaca.
 
Quando vamos ao talho, no supermercado, sabemos de onde vem o animal do qual vamos comprar uma parte. É obrigatório.
 
Recentemente, a União Europeia adotou um novo regulamento sobre a etiquetagem dos alimentos, nos próximos anos. Esta obrigação de informação sobre a carne de vaca vai aplicar-se à carne de outros animais.  
 
A etiquetagem também é mais completa nas frutas e legumes, tanto no mercado como no supermercado.
 
É mais complicado para os alimentos transformados, mas trabalha-se no assunto. É preciso imaginar que, por exemplo, por um pacote de bolo de chocolate é preciso especificar, no futuro, de onde vem o leite que o compõe, a farinha, o chocolate…o que é quase impossível.  
 
Mas até podemos saber de onde vêm os ingredientes e até o produto – por exemplo os de uma denominação protegida : ficamos a saber… Para os alimentos transformados é mais complexo.
No entanto, a etiquetagem europeia é a mais transparente e uma das mais eficazes do mundo. É algo a que todos nos comprometemos. E o Regulamento que vai entrar em vigor brevemente vai ajudar ainda mais os consumidores.
  
“Se também quer colocar uma questâo, faça-o através do nosso site (euronews.net/u-talk).”