Última hora
This content is not available in your region

Candidato surpresa das eleições americanas

Access to the comments Comentários
De  Euronews
Candidato surpresa das eleições americanas
Tamanho do texto Aa Aa

Mitt Romney foi o elemento surpresa desta campanha presidencial norte-americana.

Detestado pelas bases mais conservadoras do Partido Republicano, Romney fez uma campanha de gaffes e imprecisões num percurso que começou nas primárias, quando nem sequer era favorito.

Apesar de conseguir a nomeação e de ter eleito um conservador radical, Paul Ryan, para seu vice, atingir o nível de Obama nas sondagens parecia impossível. Para os analistas, os dados estavam lançados.

Norm Ornstein:
“Há muito nervosismo entre os republicanos. A campanha de Romney é muito pobre, desde que foi nomeado, não há dúvida.”

O candidato republicano acumulava erros atrás de erros. Numa das viagens ao estrangeiro para reforçar a imagem a nível internacional, Romney primeiro ofendeu os britânicos, duvidando da capacidade para organizarem os Jogos Olímpicos.

Depois ofendeu os palestinianos com uma frase em Israel:

“É uma grande experiência estar aqui, em Jerusalém, a capital de Israel.”

No debate sobre política externa, o candidato republicano mostrou alguma nostalgia em relação ao tempo da guerra fria e completamente inseguro em relação às fronteiras dos países a que se refere.

“A Síria constitui uma oportunidade para nós pelo importante papel que tem no Médio Oriente, principalmente agora. É o único país aliado do Irão no mundo árabe e a sua saída para o mar”.

Durante toda a campanha, Romney tentou lançar o debate sobre economia, terreno em que está à vontade. Depois de desprezar os eleitores democratas dizendo que podiam contar com o governo para se ocupar deles, tentou explicar-se o que piorou a situação:

“A abordagem do presidente é muito atrativa para quem não paga impostos. A minha posição sobre a redução de impostos não é tão sedutora, por isso não consigo atraí-los, pelo menos de um modo tão eficaz como o faria com a classe média.”

Apesar das “escorregadelas” foi Romney que ganhou o primeiro debate contra Obama dedicado à economia.

Mitt Romney:

“O princípio primordial é que não haverá redução de impostos que aumente o nosso déficit. Faço questão disso. Não haverá redução de impostos que aumente o déficit. Mas quero reduzir o ónus que pesa sobre os que têm rendimentos médios. Se o fizer, também não poderei reduzir os impostos dos norte-americanos com altos rendimentos.”

A partir desse momento a corrida para a Casa Branca tomou um rumo totalmente diferente do que deram as sondagens uns meses antes.