Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Kosovo e Sérvia falham acordo mediado pela UE

Kosovo e Sérvia falham acordo mediado pela UE
Tamanho do texto Aa Aa

As negociações entre o Kosovo e a Sérvia mediadas pela União Europeia voltaram a falhar. Após 14 horas de reunião, esta terça-feira em Bruxelas, não houve acordo.
A chefe da diplomacia europeia, Catherine Ashton afirmou mesmo que esta foi a última vez que as duas partes se reuniram formalmente com o “patrocínio” da União Europeia.
Para tentar perceber o porquê deste falhanço das negociações, a euronews entrevistou Simon Rico, redator chefe-adjunto do Courier des Balkans e especialista sobre a região.

Rudolf Herbert, euronews:
Porque é que a Sérvia e o Kosovo não chegaram a um acordo?

Simon Rico, redator chefe-adjunto “Le Courier des Balkans”:
O Kosovo e a Sérvia têm posições totalmente antagónicas: a Sérvia não reconhece a independência do Kosovo, declarada unilateralmente a 17 de fevereiro de 2008. De acordo com a constituição sérvia, o Kosovo continua a fazer parte do seu território. A União Europeia pede à Sérvia que dialogue, mas o Kosovo e a Sérvia não falam da mesma coisa.

Rudolf Herbert, Euronews:
Este é um falhanço de Bruxelas?

Simon Rico, redator chefe-adjunto “Le Courier des Balkans”:
Na realidade o falhanço não é para o Kosovo ou para a Sérvia, qie depois de 14 horas de negociações deixaram aberta a possibilidade de continuar a dialogar. É sobretudo um falhanço para Catherine Ashton, que disse que as negociações não iriam prosseguir por agora.

Rudolf Herbert, Euronews:
Mas deve Bruxelas pressionar ainda mais?

Simon Rico, redator chefe-adjunto “Le Courier des Balkans”:
É aqui que percebemos que Bruxelas não conseguiu colocar pressão sobre o Kosovo ea Sérvia. Ou então, talvez a UE deveria ter pressionado mais, mas quais são os seus meios de pressão? Acho que esse é o problema.

Rudolf Herbert, Euronews:
Por que razão a Sérvia não aceita a reconhecer a independência do Kosovo?

Simon Rico, redator chefe-adjunto “Le Courier des Balkans”:
A União Europeia pede algo de inconcebível para Sérvia: que renuncie ao Kosovo para conseguir a adesão europeia. Mas por enquanto Belgrado é incapaz de escolher entre esses dois pontos.

Rudolf Herbert, Euronews:
Para entender melhor o conflito entre a minoria sérvia no Kosovo e a maioria dos kosovares, porque é que a minoria sérvia se recusou a ser integrada no Estado do Kosovo?

Simon Rico, redator chefe-adjunto “Le Courier des Balkans”:
Lembremo-nos que em 1989 o antigo líder sérvio Slobodan Milosevic prometeu à minoria sérvia no Kosovo que não deixaria que ela fosse espancada por albaneses. Esse foi o ponto de partida de 10 anos de violência no Kosovo e que terminaram com a guerra em 1998-1999. Hoje existe uma ruptura entre a minoria sérvia que vive no extremo norte do Kosovo e o resto do Kosovo, composto quase na totalidade por albaneses. Para os sérvios no norte do Kosovo, o território deve ser anexado à Sérvia e não a Pristina.

Rudolf Herbert, Euronews:
Última questão. Porque é que a Europa se deve envolver nos Balcãs?

Simon Rico, redator chefe-adjunto “Le Courier des Balkans”:
O que podemos dizer hoje é que a União Europeia se deve envolver mais nos Balcãs, mas infelizmente, a sua influência é cada vez menos importante e há quem esteja a tentar tomar o seu lugar. É o caso dos Estados Unidos, ainda que tenham demonstraram vontade de não se envolver, mas sobretudo, o Fundo Monetário Internacional que tem avançado com vários planos de ajuda na Bósnia, Bulgária, na Sérvia e na Roménia, todos países da região que estão numa crise terrível.