Última hora
This content is not available in your region

Aumento do euroceticismo na Europa

Access to the comments Comentários
De  Euronews
Aumento do euroceticismo na Europa
Tamanho do texto Aa Aa

Sophia, Holanda: “Como explica o atual aumento dos partidos eurocéticos pela Europa? Será uma ameaça para a União Europeia tal como a conhecemos hoje?”

Pascal Delwit, analista político da Universidade Livre de Bruxelas: Em grande parte, temos de ver a ascensão de partidos eurocéticos e de direita, à luz das mudanças que a União Europeia está a experienciar, atualmente. São inúmeras mudanças. A primeira deve-se à transformação da própria União: de uma pequena comunidade europeia para um conjunto de 28 Estados-Membros. Tendo em conta a identidade e o que a UE representa hoje, existe uma configuração diferente.

A segunda deve-se à crise económica, que tem afetado estruturalmente a Europa desde o final da década de 70 e depois, fortemente, de tempos em tempos desde de 2007-2008. Isto cria uma série de incertezas, de medos que normalmente levam à isolação de identidade.

E o terceiro é devido à representação da Europa no cenário internacional: a Europa está numa lógica de declínio, declínio industrial, está a perder a posição histórica que costumava ter. Estamos numa lógica de isolamento de identidade que leva à negação de várias formas de solidariedade. Esta negação pode ser expressa através de um crescente regionalismo nos Estados Membros. A nível nacional, pode-se expressar através do aumento de partidos políticos, como os Verdadeiros Finlandeses, na Finlândia, o Alternativa para a Alemanha, na Alemanha ou o FPÖ na Áustria. Todos pretendem pôr fim à solidariedade no seio da UE. Estes partidos têm um impacto nos grandes partidos, que temem que possam ganhar terreno politica e eleitoralmente…

Os principais partidos agora tendem a ser mais relutantes com a Europa e a ser mais pró-ativos no Conselho Europeu. Verificámos este tendência na votação do orçamento da UE. Vários Estados-Membros e vários partidos políticos estiveram relutantes em aumentar o orçamento da UE, porque temiam ser “punidos” pelos eleitores em eleições nacionais ou europeias.

Se também gostaria de fazer uma pergunta em U-talk, clique no botão abaixo: