Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Fundador do Wikileaks pronto a abandonar "refúgio" na embaixada equatoriana

Fundador do Wikileaks pronto a abandonar "refúgio" na embaixada equatoriana
Tamanho do texto Aa Aa

O fundador do site Wikileaks anunciou esta manhã que vai abandonar, “em breve”, a embaixada equatoriana em Londres, desmentindo os rumores sobre alegados problemas de saúde.

“Vou abandonar a embaixada em breve, mas não pelas razões avançadas por alguns media britânicos”, garantiu Assange.

Dois anos depois de se ter refugiado na representação diplomática para escapar a uma eventual extradição para a Suécia, Julian Assange estaria à espera da luz verde do governo britânico, segundo o responsável diplomático do Equador.

“Estamos à espera de uma reação em breve, pois Julian Assange encontra-se nesta embaixada há demasiado tempo e contra a sua vontade, à espera de garantias de que não será detido à saída”, afirmou Ricardo Patiño.

A intervenção foi igualmente uma oportunidade para Assange denunciar o que chama de falsas informações sobre a sua situação, afirmando que não foi acusado para já formalmente de abuso sexual pela justiça sueca e que teria garantias do governo de que não será extraditado para o país.

O fundador do Wikileaks fala de pressões políticas depois de ter revelado milhares de informações confidenciais do governo norte-americano.

O porta-voz do site de fugas de informação, afirmou, depois da conferência de imprensa, que Assange está, “pronto a abandonar a representação diplomática”, se Londres garantir que o responsável do Wikileaks não será detido.