Última hora

Última hora

Jihadistas franceses queimam passaportes em vídeo

Em leitura:

Jihadistas franceses queimam passaportes em vídeo

Jihadistas franceses queimam passaportes em vídeo
Tamanho do texto Aa Aa

França assiste atónita ao desfilar de jihadistas franceses nas fileiras do grupo Estado Islâmico. Imagens mostram jovens a queimarem os passaportes e a apelarem aos seus conterrâneos para se juntarem à guerra, mesmo contra a França.

A televisão pública francesa diz que os Serviços Secretos identificaram um dos elementos do vídeo da execução de Peter Kassig como sendo francês, diz tratar-se de Mickaël dos Santos, um lusodescendente:

“Ele converteu-se. Sabemos que está na região há um ano e meio, desde agosto de 2013. Foi treinado aí, aprendeu a manejar armas e tornou-se ultrarradical, também sabemos que é ultraviolento. Vemo-lo através dos livros que ele evoca nas redes sociais, faz ameaças de atentados contra França, apela à jihad, menciona, recorrentemente, o nome de Mohamed Merah”, explica Jean-Charles Brisard, especialista em terrorismo.

Na localidade de Champigny-sur-Marne, onde se terá convertido ao Islão, os seus pares não aceitam o seu comportamento:

“Nunca imaginei que seria capaz de agir assim”, diz um muçulmano.

“Para nós é um assassino porque o Islão não é isto, O Islão é paz”, afirma outro.

Entre os elementos do grupo extremista Estado Islâmico há jovens de vários países europeus, entre eles Portugal. Um problema que a União Europeia, e os Estados-membros, não estão a ser capazes de controlar.