Última hora

Julian Assange: Recusada anulação do mandado de detenção

Julian Assange: Recusada anulação do mandado de detenção
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

O Tribunal de Recurso de Estocolmo confirmou o mandado de detenção para interrogatório por alegados crimes sexuais de Julian Assange, fundador do portal Internet “Wikileaks”, que tinha pedido a anulação da ordem judicial.

O mandado confirmado visa interrogar Assange sobre acusações de violação e molestação sexual de duas mulheres, quando visitou a Suécia em 2010.

Assange, de 43 anos, nega as acusações e manifestou o receio de que uma extradição para a Suécia possa levar a uma transferência para os Estados Unidos, país que o quer julgar pela divulgação de documentos diplomáticos e militares secretos norte-americanos.

A justiça sueca considerou que um levantamento do mandado tornaria “importante o risco de fuga” de Assange, refugiado há dois anos na embaixada do Equador em Londres.

Se abandonar a embaixada, Assange pode ser detido e extraditado para a Suécia.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.