A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Embargo a Cuba: Da Guerra Fria aos dias de hoje

Embargo a Cuba: Da Guerra Fria aos dias de hoje
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Fidel Castro e John Kennedy foram os principais protagonistas da tensão entre dois países vizinhos de costas de voltadas até hoje, ou seja há mais de cinquenta anos.

O embargo a Cuba é um resultado da guerra fria entre Estados Unidos e União Soviética.

Mas foi o presidente Dwight Eisenhower quem começou parte do embargo que ainda hoje de se faz sentir. Rompeu as relações diplomáticas com Havana, na sequência de disputas comerciais ganhas pelos soviéticos.

Kennedy ficou com a maior parte da responsabilidade ao ter que gerir a falhada invasão da baía dos porcos, a crise dos mísseis de soviéticos em Cuba, ou seja, teve que lidar com um inimigo às portas de casa.

O presidente americano ampliou as restrições comerciais antes lançadas por Eisenhover.

Seguiu-se depois um reforço das sanções a todos os níveis até hoje.

Com o saída de Fidel Castro da presidência em 2008, o irmão Raul deu início a reformas que, aparentemente, foram bem recebidas por Barack Obama.