Vistos: a arma do Líbano para limitar entrada de refugiados sírios

Vistos: a arma do Líbano para limitar entrada de refugiados sírios
De  Lurdes Duro Pereira com AFP, EFE, Reuters
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button

A medida é controversa e promete dificultar a vida de quem foge à guerra na Síria. Beirute diz não ter capacidade para acolher mais refugiados.

Os cidadãos sírios precisam, a partir de hoje, de visto para entrar no Líbano.

PUBLICIDADE

A medida visa limitar a entrada de refugiados do país vizinho que, de acordo com o último balanço, acolhe mais de um milhão de sírios.

A emissão dos diferentes vistos – seis no total e que podem ir de turismo a negócios – é feita na fronteira, mas muitos não escondem as dificuldades.

“Tenho um filho com idade para cumprir o serviço militar e não estou a conseguir entrar em contacto com ele. Como pai posso tratar dos papeis, mas não sei se me vão deixar voltar ou não” refere um sírio

“Não entendo nada de vistos. Talvez dentro de alguns meses seja mais fácil. A única coisa que quero é que a situação se resolva para que todos nós possamos regressar a casa” acrescenta uma síria.

Desde a Independência da Síria e do Líbano, na década de 40, que os cidadãos dos dois países apenas precisavam de apresentar o bilhete de identidade para atravessar a fronteira.

Beirute tenta com a introdução de vistos conter a enchente de sírios que todos os dias procuram refúgio no país vizinho.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Confrontos num campo de refugiados palestinianos no Líbano

Papa Francisco: "Migrar deveria ser uma escolha livre"

Hoje é Dia Mundial dos Migrantes e Refugiados