Última hora
This content is not available in your region

Jihadistas ameaçam matar reféns japoneses

Jihadistas ameaçam matar reféns japoneses
Tamanho do texto Aa Aa

Os jihadistas do autoproclamado Estado Islâmico ameaçaram esta terça-feira executar dois reféns japoneses, exigindo um resgate de 200 milhões de dólares.

Num vídeo divulgado nas redes sociais, os dois reféns, identificados como Kenji
Goto Jogo e Haruna Yukawa, aparecem amarrados e vestidos com túnicas cor-de-laranja, enquanto um jihadista encapuçado, que fala em inglês, dá um prazo de 72 horas ao governo japonês para pagar o resgate. O mesmo homem acrescenta que Tóquio cometeu o erro de contribuir com 200 milhões de dólares para apoiar a coligação organizada pelos Estados Unidos para combater os jihadistas na Síria e no Iraque.

Em reacção ao vídeo, o primeiro-ministro japonês Shinzo Abe, que estava em visita no Médio Oriente, decidu antecipar o seu regresso ao Japão. Entretanto o porta-voz do executivo, Yoshihide Suga, reafirmou a posição de Tóquio de não ceder face ao terrorismo.

Kenji Goto Jogo é um jornalista que estava na Síria para fazer reportagens sobre a guerra civil, enquanto Haruna Yukawa trabalhava para o Exército Livre da Síria como agente de uma empresa privada de segurança e foi capturado em agosto.

A voz do homem que ameaça os dois reféns japoneses no vídeo dos jihadistas parece ser a de “Jihadi John”, que terá assassinado os reféns norte-americanos James Foley e Steven Sotloff, e os reféns britânicos David Haines e Alan Henning.

A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.