Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Ébola: Normalidade relativa na Libéria

Ébola: Normalidade relativa na Libéria
Tamanho do texto Aa Aa

Regressa uma relativa normalidade às fronteiras da Libéria, depois de seis meses de quarentena devido ao vírus Ébola. De acordo com a presidente da Libéria, o epidemia já está sob controlo.

Na fronteira com a Serra Leoa reina o otimismo. O Ébola já causou a morte a milhares de pessoas. Nove mil, no total, na Libéria, Guiné e Serra Leoa – os três países mais afetados pela epidemia.

A reabertura das fronteiras é um sinal de alívio para a população que perdeu o emprego e sofreu com a falta de segurança alimentar. Os pequenos comerciantes começam a recuperar.

A Libéria regista o maior número de mortes, quase 4 mil. No país, ainda há nove casos conhecidos e 30 novos casos suspeitos, como o da semana passada. As autoridades estão relutantes no levantamento das medidas especiais.

As escolas voltaram a abrir há uma semana. Foram entregues kits da Unicef e os professores receberam instruções especiais de higiene. Lentamente, o país regressa à vida normal.

Algumas escolas tiveram de mandar os alunos para casa porque os professores não apareceram. Segundo uma fonte oficial, todas as escolas têm de abrir a 2 de março, mas as que se converteram em centros de tratamento vão ter de ser descontaminadas primeiro.