Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

Nazismo: Gröning admite "culpa moral"

Nazismo: Gröning admite "culpa moral"
Tamanho do texto Aa Aa

O último acusado de Auschwitz,
Oskar Gröning, de 93 anos, admite “culpa moral” mas defende que os assassinatos não tinham relação com sua “área de trabalho”.

Gröning é acusado de participação na morte de 300 mil prisioneiros no campo de concentração de Auschwitz pelo tribunal da cidade Lüneburg, no norte da Alemanha, onde decorre, desde esta terça-feira, o processo.

No final de uma detalhada descrição do seu trabalho admitiu uma “certa cumplicidade moral” e pediu perdão aos sobreviventes presentes.

Eva Pusztai-Fahidi, sobreviveu ao horror e diz: “Só quem estava lá sabe o que aconteceu. Por isso, é um momento muito importante na minha vida este processo, assistir ao julgamento de um homem das SS que serviu em Auschwitz-Birkenau. Não me interessa a sua pena. É o julgamento que é importante”.

Durante dois anos, de setembro de 1942 a outubro de 1944, Gröning serviu no campo de extermínio como administrador de dinheiro e objetos de valor dos deportados.

O tribunal considerou que “através de sua atividade, o réu apoiava o sistema de matança em curso”.