Ucrânia celebra Dia Mundial dos Refugiados de olhos postos nos deslocados internos

Ucrânia celebra Dia Mundial dos Refugiados de olhos postos nos deslocados internos
De  Dulce Dias com Maria Korenyuk, correspondente da euronews em Kiev; ONU
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

A Ucrânia conta, atualmente, 3000 refugiados e 1,3 milhão de deslocados, pessoas que fugiram da guerra do leste do país

PUBLICIDADE

Em Kiev, na Ucrânia, este Dia Mundial do Refugiados foi a ocasião para uma feira de artesanato, com venda de produtos fabricados pelos refugiados.

A Ucrânia acolhe atualmente 3000 refugiados, vindos sobretudo da Síria e do Afeganistão, mas não só.

Muitos têm dificuldade em encontrar trabalho, como Mariana Nkiawete Nan, que chegou nos anos 90, fugida da guerra civil que grassava então em Angola: “É como a guerra: temos de lutar constantemente pelos nossos direitos. Por exemplo, por causa da minha cor de pele não consigo facilmente arranjar um emprego, apesar de ter todos os diplomas e as qualificações necessárias.”

Mas a Ucrânia conta, sobretudo, muitos deslocados: 1,3 milhão de pessoas, que fugiram da guerra do leste do país.

É o caso de Tetyana Tkachenko que explica, em russo, que fugiu de Luhansk com o marido: “Pensávamos que íamos abandonar a nossa casa só por algumas semanas. Mas fomos ficando em Kiev. Os nossos pais continuam em Luhansk, onde a vida, apesar de tudo, vai continuando. Mas como é que poderíamos voltar para lá – para uma república que não é reconhecida?”

As verbas recolhidas nesta feira de artesanato servirão para ajudar os próprios refugiados, a maior parte dos quais tem poucos recursos.

Algumas ONG aproveitaram a ocasião para tentar ajudá-los a encontrar um trabalho.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Um morto e doze feridos em ataque russo a Poltava na Ucrânia

Ataques russos com drones fazem quatro mortos e vários feridos em Kharkiv

Finlândia assina pacto de segurança de 10 anos com a Ucrânia e envia ajuda no valor de 188 milhões