A Euronews deixou de estar acessível no Internet Explorer. Este navegador já não é suportado pela Microsoft, e os mais recentes recursos técnicos do nosso site não podem mais funcionar corretamente. Aconselhamos a utilização de outro navegador, como o Edge, o Google Chrome ou o Mozilla Firefox.
Última hora

Capacete azul morto na República Centro-Africana

Capacete azul morto na República Centro-Africana
Euronews logo
Tamanho do texto Aa Aa

Pelo menos um soldado das forças de manutenção da paz da Organização das Nações Unidas foi morto na República Centro-Africana este domingo, durante confrontos com assaltantes armados num bairro da capital, Bangui.

Em março de 2013, represálias de milícias cristãs anti-Balaka em reação à tomado do poder por rebeldes muçulmanos do grupo Seleka, mergulharam o país no caos.

Em abril, a ONU alertou para o risco de a República Centro-Africana se tornar o país com a maior crise humanitária do mundo, estimando que 900 mil pessoas foram obrigadas a abandonar as suas habitações para fugir ?a violência.

Segundo o Alto Comissariado da ONU para os Refugiados, há mais de 460 mil refugiados centro-africanos nos países vizinhos e 436 mil pessoas estão deslocadas no país, enquanto 2,7 milhões de pessoas necessitam de ajuda humanitária.