PAM aproveita trégua mas "falta tudo no Quénia"

PAM aproveita trégua mas "falta tudo no Quénia"
De  Maria-Joao Carvalho com MOHAMMED SHAIKHIBRAHIM, ONU, PAM, WFP
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Várias agências da ONU – nomeadamente o Programa de Alimentação Mundial, PAM, e outras organizações humanitárias, iniciaram operações de emergência

PUBLICIDADE

Várias agências da ONU – nomeadamente o Programa de Alimentação Mundial, PAM, e outras organizações humanitárias, iniciaram operações de emergência de auxílio à população do Iémen, ao abrigo do cessar-fogo humanitário de cinco dias.

Quase sete semanas de bombardeamentos aéreos da coligação árabe contra posições das milícias xiitas provocaram faltas graves de água potável e energia, combustível e material médico, além de fortes perturbações ao comércio, num país que é dependente da importação de alimentos

A FAO, Organização das Nações Unidas para a Alimentação e Agricultura, por exemplo, queixa-se de só conseguir fazer chegar alimentos a 2,5 milhões de pessoas, numa população total de 24 milhões.

ONU alerta para crise humanitária no Iémen http://t.co/3yzW3aAcZw

— S. Informação M. (@SIMundial) August 20, 2015

A diretora do PAM sente as mesmas dificuldades:

Ertharin Cousin, diretora executiva do programa Alimentar Mundial: - Por causa da falta de acesso, a população vulnerável não está a receber a assistência alimentar necessária e cada vez vemos mais crianças com desnutrição crónica, por falta de produtos essenciais básicos. Sem água potável, sem combustível, alimentos, estamos à beira de uma tempestade perfeita para provocar uma ctástrofe.
O que esperamos é que todas as partes no conflito reconheçam que o povo do Iémen, a população afetada não pode esperar por uma solução política. Devemos proporcionar o acesso humanitário que é necessário em todo o país.

ONU denuncia morte de crianças em conflito "brutal" no Iêmen #Finanças#Forexhttps://t.co/g7zX56jRai

— Dukascopy News (PT) (@FXS_Finance_PT) August 19, 2015

A situação é agravada pela falta de combustível, que impede a distribuição dos poucos produtos disponíveis, e os graves danos infligidos ao setor agrícola, com sistemas de irrigação destruídos, escassez de sementes e propagação de doenças entre os animais.

O Iémen importa 90% dos alimentos que consome. Em determinados produtos, como o trigo, 95%” e, com o conflito armado em curso, as importações estão praticamente paradas, por isso a ajuda alimentar mundial é indispensável.

O correspondente da euronews no Cairo, Mohammed Shaikhibrahim, esteve com a diretora do PAM, no Cairo, antes da sua partida para o Iémen

- As vias de acesso de assistência humanitária às pessoas afetadas pela guerra é o principal obstáculo às organizações internacionais, que exigem mais cooperação internacional para o superar.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Cerca de 5 milhões em situação de insegurança alimentar no Haiti devido a violência

Guterres condena ataque "inconcebível" que matou trabalhadores humanitários em Gaza

ONU exige cessar-fogo em Gaza durante o mês sagrado muçulmano do Ramadão