EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Cuba amnistia 3522 detidos por ocasião da visita do Papa

Cuba amnistia 3522 detidos por ocasião da visita do Papa
Direitos de autor 
De  Euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O regime cubano decidiu conceder amnistias a 3522 prisioneiros, por ocasião da visita do Papa Francisco à ilha. O gesto, de uma amplitude inédita

PUBLICIDADE

O regime cubano decidiu conceder amnistias a 3522 prisioneiros, por ocasião da visita do Papa Francisco à ilha.

O gesto, de uma amplitude inédita, foi anunciado pelo jornal Granma, orgão oficial do Estado cubano.

Entre os que beneficiam do indulto, contam-se detidos com mais de 60 anos ou menos de 20 anos de idade sem antecedentes penais, aqueles que sofrem de doenças crónicas, mulheres e extrangeiros cujos países garantem a extradição.

O Papa Francisco, que recebeu em maio Raul Castro no Vaticano, vai visitar Cuba em breve, de 19 a 22
de setembro.

A amnistia geral anuncia por Havana terá sido negociada pelo cardeal Jaime Ortega, máxima autoridade da Igreja Católica em Cuba.

O regime castrista já tinha libertado perto de 3000 prisioneiros em 2012, por ocasião da visita de Bento XVI, e cerca de outros 300, em 1998, quando recebeu João Paulo II.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Centenas de cubanos visitam navio de guerra russo

Rússia envia submarino nuclear para Cuba para reavivar diplomacia naval

ONU vota contra embargo norte-americano a Cuba