EventsEventosPodcasts
Loader
Encontra-nos
PUBLICIDADE

Refugiados: Hungria e Eslovénia acusam Croácia de não assumir responsabilidades

Refugiados: Hungria e Eslovénia acusam Croácia de não assumir responsabilidades
Direitos de autor 
De  Rodrigo Barbosa com REUTERS / AFP / EFE
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

A crise dos refugiados está a exacerbar as tensões diplomáticas entre a Croácia e os países vizinhos. Zagreb admitiu estar a enviar comboios e

PUBLICIDADE

A crise dos refugiados está a exacerbar as tensões diplomáticas entre a Croácia e os países vizinhos.

Zagreb admitiu estar a enviar comboios e autocarros carregados de migrantes para a fronteira húngara, para “forçar a mão” de Budapeste. O primeiro-ministro croata afirmou que o seu país “não se tornará no centro de refugiados da Europa”.

A Hungria acusou Zagreb de “violar a [sua] soberania” e ameaçou bloquear a entrada da Croácia no espaço Schengen.

O chefe da diplomacia húngara afirmou que “nos últimos dias, o governo croata tem mentido continuamente ao povo húngaro, ao povo croata e a todos os cidadãos da União Europeia”.

A Eslovénia também criticou o envio de refugiados do território croata para a sua fronteira. O primeiro-ministro esloveno admitiu que as suas forças de segurança são incapazes de impedir a passagem a todos os migrantes e afirmou que, se a pressão continuar, poderá abrir “corredores de trânsito” para a Áustria.

Miro Cerar disse que “a Eslovénia foi confrontada com uma enorme vaga de refugiados vindos da Croácia, que não cumpriu as suas responsabilidades, e perdeu-se o controlo da situação. Tem havido uma canalização indevida de refugiados para a Eslovénia, que é a guardiã da fronteira [do espaço] Schengen. É essa a sua responsabilidade europeia”.

Os que conseguem entrar em território esloveno ou húngaro dirigem-se, na quase totalidade dos casos, pelos seus próprios meios ou reencaminhados pelas autoridades, para a Áustria.

Viena foi confrontada, desde a madrugada de sábado, com a chegada de mais de 10.000 refugiados, vindos sobretudo da Hungria mas também, pela primeira vez, da Eslovénia.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Onda de calor no sul da Europa e Balcãs continua nos próximos dias

Áustria anuncia novo pacote de obrigações para requerentes de asilo

Unionistas da Irlanda do Norte sob pressão nas eleições gerais do Reino Unido