Última hora

Última hora

Pobreza extrema deve atingir menos de 10 por cento da população mundial

Em leitura:

Pobreza extrema deve atingir menos de 10 por cento da população mundial

Pobreza extrema deve atingir menos de 10 por cento da população mundial
Tamanho do texto Aa Aa

Este ano a pobreza extrema vai ficar abaixo dos 10 pontos percentuais. Pelo menos é o que garante o Banco Mundial.

Um relatório da instituição financeira internacional, com sede em Washington, revela que o número de pessoas a viver nessas condições tem vindo a diminuir ao longo dos últimos anos.

Em 2015, a população mundial a viver abaixo do limiar da pobreza deve ficar nos 9,6 por cento.

Para o Banco Mundial trata-se de um marco histórico. Certo, é que 9,6 por cento da população mundial representa mais de 700 milhões de pessoas distribuídas, essencialmente, pela Ásia e pela África Subsaariana.

A instituição com sede em Washington lembra que em 2012 existiam 902 milhões de pessoas a viver nestas condições.

O Banco Mundial aumentou de 1,25 para 1,90 dólares (cerca de 1,70 euros) por dia o valor mínimo de subsistência, abaixo do qual a população mundial é considerada pobre.

A linha de pobreza está fixada em 1,90 dólares por dia em paridade do poder de compra, ou seja, considerando o poder de compra equivalente a essa quantia em cada país.

O presidente do Banco Mundial considera que há razões para sorrir já este número nunca foi tão baixo. Jim Yong Kim defende que o “contínuo declínio na pobreza extrema” se deve ao crescimento económico nos países em vias de desenvolvimento e ao investimento feito na saúde, na segurança social e na educação.

“Esta nova previsão (…) deve-nos dar um novo impulso e ajudar a concentrar-nos ainda mais em estratégias mais eficazes para acabar com a pobreza extrema” afirma.

O relatório do Banco Mundial surge um mês depois de os líderes mundiais se terem comprometido a acabar com a pobreza extrema no prazo de 15 anos.

http://data.worldbank.org/country/portugal