This content is not available in your region

A tradição já não é o que era: Playboy "veste-se"

Access to the comments Comentários
De  Ricardo Figueira  com AFP, Reuters, Mashable, New York Times
euronews_icons_loading
A tradição já não é o que era: Playboy "veste-se"

Decididamente, como alguém disse, a tradição já não é o que era. Pasme-se: A Playboy vai deixar de publicar fotos de mulheres nuas. É o fim de uma era, ou talvez o triunfo do “politicamente correto”.

A revista vai agora focar-se nas reportagens e entrevistas, algo que sempre fez, mas que nem sempre recolhe a atenção devida, já que a marca é sempre associada ao erotismo.

A revista norte-americana foi fundada por Hugh Hefner em 1953. O primeiro número trazia na capa Marilyn Monroe na capa. Desde então, foram muitas as famosas a despir-se. Victor Navasky, presidente da revista de jornalismo da Universidade de Columbia, concorda com a decisão: “Qualquer amante de ficção pode confirmar que uma foto de uma mulher com alguma roupa pode ser muito mais sexy que uma foto de uma mulher nua”.

O atual diretor, Scott Flanders, justifica a decisão com a concorrência da Internet, que deixa o sexo e a nudez ao alcance de um simples clique. A revista vai continuar, no entanto, a publicar fotografias de mulheres em poses provocantes. O site da revista já tinha sofrido esta transformação, para permitir aos utilizadores a consulta no local de trabalho.

A decisão foi tomada depois de uma reunião do editor Cory Jones com o próprio Hefner. O primeiro número sem nus vai ser publicado em março do próximo ano.

==

==