EventsEventosPodcasts
Loader

Find Us

PUBLICIDADE

Eslovénia não descarta construir vedação para travar refugiados

Eslovénia não descarta construir vedação para travar refugiados
Direitos de autor 
De  Euronews
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

A Eslovénia não descarta a possibilidade de também construir uma vedação na fronteira com a Croácia, se a UE não conseguir travar o fluxo de

PUBLICIDADE

A Eslovénia não descarta a possibilidade de também construir uma vedação na fronteira com a Croácia, se a UE não conseguir travar o fluxo de refugiados.

Uma eventualidade evocada esta quarta-feira pelo primeiro-ministro esloveno, Miro Cerar quando, segundo o governo de Lubliana, cerca de 90 mil pessoas entraram no território nos últimos 12 dias.

Em Sentilj, na fronteira entre a Eslovénia e a Áustria, mais de 2 mil refugiados aguardam uma oportunidade de prosseguir viagem.,sob temperaturas quase negativas e sem qualquer tipo de assistência.

Um refugiado sírio afirma: “já vi esta cena demasiadas vezes durante a minha viagem, tive uma travessia difícil de 20 dias. Já vi este tipo de pessoas que compra comida, medicamentos, pois sabe que estas pessoas necessitam de água e comida”.

Sem qualquer assistência por parte das autoridades eslovenas nos últimos dois dias, os migrantes são presas fáceis para todo o tipo de traficantes.

Um mercado negro onde uma pizza pode custar até 25 euros, quase seis vezes o preço normal.

Um refugiado sírio, em viagem rumo à Suécia, afirma, “Dois dias de Inverno aqui na Eslovénia, sem água nem comida, sem a UNICEF, nem nenhuma organização humanitária. Só vejo polícias à minha volta”.

Segundo o jornal Financial Times, as autoridades eslovenas poderiam recorrer mesmo à cláusula de solidariedade do Tratado da UE, para pedir a intervenção de outros países para gerir a crise.

Um primeiro grupo de cinco polícias alemães chegou hoje ao território para tentar coordenar uma situação humanitária cada vez mais difícil.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Televisão pública húngara emite debate político pela primeira vez em 18 anos

Na Hungria, uma nova oposição liderada por Péter Magyar desafia Viktor Orbán

Opositor de Orbán mobiliza milhares em manifestação anti-governo