EventsEventosPodcasts
Loader
Find Us
PUBLICIDADE

EUA anunciam envio de forças especiais para a Síria e norte do Iraque

EUA anunciam envio de forças especiais para a Síria e norte do Iraque
Direitos de autor 
De  Euronews com Reuters, AFP
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Os Estados Unidos anunciaram esta sexta-feira estarem a preparar o envio de um pequeno grupo de forças especiais para a Síria. Falando a partir de

PUBLICIDADE

Os Estados Unidos anunciaram esta sexta-feira estarem a preparar o envio de um pequeno grupo de forças especiais para a Síria.

Falando a partir de Viena, o secretário de estado norte-americano, John Kerry, afirmou que o papel das forças especiais seria prestar assistência a grupos rebeldes moderados apoiados por Washington.

“Obama autorizou o envio de um pequeno contingente de forças especiais para o norte da Síria onde vão ajudar a coordenar as forças no terreno e os esforços da coligação na luta contra o grupo Estado Islâmico. No entanto, os Estados Unidos e os parceiros da coligação acreditam que a melhor forma de lutar contra os extremistas seria alcançar uma transição política”, disse John Kerry no final da cimeira sobre a Síria que terminou esta sexta-feira na capital austríaca.

Um outro alto responsável da administração Obama confirmou que para além das forças especiais, seriam igualmente enviados 15 aviões e jatos militares para uma base aérea turca.

O anúncio do envio de forças especiais marca uma inflexão na política seguida pelo presidente Obama que até agora havia rejeitado a possibilidade do envio de militares para o terreno na Síria.

A decisão norte-americana tem como objetivo reforçar os grupos rebeldes moderados agora sob pressão adicional devido à escalada militar russa cujos aviões têm estado a bombardear grupos apoiados por Washington.

A nova estratégia norte-americana inclui ainda o envio de uma força de operações especiais para o norte do Iraque.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Governo australiano saúda libertação de Julian Assange

Netanyahu diz que envio de armamento dos EUA diminuiu e admite fim da "fase intensa" dos combates

Houthis reivindicam ataques a contratorpedeiro dos EUA e a dois navios petroleiros