Última hora

Última hora

As reações do mundo do cinema aos atentados terroristas em Paris

Em leitura:

As reações do mundo do cinema aos atentados terroristas em Paris

As reações do mundo do cinema aos atentados terroristas em Paris
Tamanho do texto Aa Aa

Vários nomes do cinema prestaram homenagem às vítimas dos atentados de Paris, durante a cerimónia de entrega dos Óscares honorários em Los Angeles.

O mais importante é continuar a viver. É uma noite importante. Sou uma atriz. É uma noite importante para mim. Temos de continuar a trabalhar. Vocês são jornalistas e têm de continuar a trabalhar. As pessoas de Paris também têm de avançar e viver as suas vidas.

O evento anual da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas teve lugar no sábado, dia 14 de novembro, um dia depois dos ataques terroristas na capital francesa.

“É uma coisa global. Não tenho resposta. O meu coração está com as famílias que perderam os seus próximos”, afirmou o realizador Spike Lee.

“É obviamente um ataque contra a tolerância. Por isso temos de defender os nossos valores. Se acreditamos neles e nós acreditamos na compaixão mútua, na tolerância e na liberdade”, frisou o realizador Danny Boyle.

“Lembra-nos o que se passou no 11 de setembro e desta vez espero que façam bem as coisas. Espero que possamos agir de forma unida, com o resto do mundo, em vez de fazermos coboiadas sozinhos. Não podemos olhar para este problema como algo que só pode ser resolvido de forma violenta e militar”, disse o atoe norte-americano Mark Ruffalo.

“Não sei o que podemos fazer, a minha primeira reação não é necessariamente a melhor, é uma reação visceral. Temos que nos livrar desses criminosos, custe o que custar. Mas não sei o que podemos fazer. Também não posso dizer que por ser ator nada tenho a ver com a situação porque isto diz respeito a todos”, afirmou o ator Peter Fonda.

“O mais importante é continuar a viver. É uma noite importante. Sou uma atriz. É uma noite importante para mim. Temos de continuar a trabalhar. Vocês são jornalistas e têm de continuar a trabalhar. As pessoas de Paris também têm de avançar e viver as suas vidas”, sublinhou a atriz Patricia Clarkson.

“Os terroristas querem interromper o curso normal da nossa vida e nós temos de continuar a viver normalmente, a fazer a nossa vida”, disse o ator Ian Mckellen.

É chocante, onde quer que aconteça. É algo horrível que nos leva a reflectir sobre a melhor forma de lidar com isso mas também penso que é preciso continuar a viver e não se deixar derrotar”, frisou a realizadora britânica Sarah Gravon.

A presidente da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas prestou homenagem às vítimas.

“A nossa relação com o cinema francês é muito forte. Influenciamo-nos mutuamente, dos dois lados do oceano Atlântico, desde o primeiro filme dos irmãos Lumière. Esta reunião para celebrar a nossa história e as pessoas que a marcaram é também uma forma de homenagear os que morreram”, considerou Cheryl Boone.

Mais sobre le mag