EventsEventosPodcasts
Loader
Find Us
PUBLICIDADE

Mantém-se alerta máximo em Bruxelas até segunda-feira

Mantém-se alerta máximo em Bruxelas até segunda-feira
Direitos de autor 
De  Euronews
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

O Conselho Nacional de Segurança da Bélgica decidiu manter o alerta máximo em Bruxelas, ou seja nível 4 e o de nível 3 no resto do território, até

PUBLICIDADE

O Conselho Nacional de Segurança da Bélgica decidiu manter o alerta máximo em Bruxelas, ou seja nível 4 e o de nível 3 no resto do território, até segunda-feira. As escolas e o metro voltam a funcionar na próxima quarta-feira, as medidas excecionais de segurança mantêm-se. Estas informações foram avançadas, ao final da tarde, início da noite, em conferência de imprensa, pelo primeiro-ministro belga:

“Queremos fazer tudo para recuperar, gradualmente, uma vida tão normal, tanto quanto possível, dado o nível de vigilância que é necessária. Isso significa que foi decidido que as escolas serão reabertas na quarta-feira, e que serão tomadas medidas de segurança adicionais em torno das escolas, e que o metro será reaberto também na quarta-feira”, explicou Charles Michel.

As escolas estão encerradas desde segunda-feira. O metro fechou portas no sábado. O país está em Estado de Emergência, para a população a situação justifica as medidas excecionais, sente-se mais segura:

“Sinto um pouco de tensão, sim tenso, mas por outro lado sinto-me seguro. Há polícias e militares suficientes por aí, está tudo bem”, diz um homem.

A ameaça continua “iminente” e as autoridades belgas prosseguem com as interpelações. Quinze na noite de domingo. Uma das pessoas ficou detida provisoriamente, acusada de participação nos atentados de Paris.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

Serge Stroobants: "A Europa percebe que deixámos de viver num continente pacífico"

Justiça belga deixa prosseguir encontro dos populistas em Bruxelas

75 anos da NATO: Ucrânia foi à festa em Bruxelas mas levou pedido - mais mísseis Patriot