EventsEventosPodcasts
Loader
Find Us
PUBLICIDADE

Argentina: Não era a neta de "Chicha" Mariani

Argentina: Não era a neta de "Chicha" Mariani
Direitos de autor 
De  Miguel Roque Dias com EFE, Clarín
Publicado a
Partilhe esta notíciaComentários
Partilhe esta notíciaClose Button
Copiar/colar o link embed do vídeo:Copy to clipboardCopied

Maria Isabel “Chicha” Chorobik de Mariani vai ter de continuar à procura da neta, Clara Anahí Mariani Teruggi, sequestrada em novembro de 1976, com

PUBLICIDADE

Maria Isabel “Chicha” Chorobik de Mariani vai ter de continuar à procura da neta, Clara Anahí Mariani Teruggi, sequestrada em novembro de 1976, com apenas três meses, durante a ditadura militar na Argentina.

Comunicado de prensa pic.twitter.com/MwdGHLDVm9

— J.M. Ramos Padilla (@jmramospadilla) December 25, 2015

As análises genéticas revelaram que a jovem encontrada não tinha qualquer parentesco com esta fundadora do movimento das “Avós da Praça de Maio”, revela o advogado da Fundação Anahí, criada em 1989 por “Chicha”, depois de ter deixado a presidência do movimento. A história tinha sido divulgada nos últimos dias. “Chicha” publicou, nas redes sociais, uma fotografia com a suposta neta durante as festividades da noite de Natal.

De acordo com o Banco Nacional de Dados Genéticos, realizaram-se duas análises e ambas foram negativas.

Clara Anahí Mariani Teruggi foi sequestrada a 24 de novembro de 1976, depois de membros das forças de segurança terem invadido a casa dos pais (Daniel Mariani e Diana Teruggi). A mãe assassinada no local e o pai viria a falecer oito meses depois.

A Associação Avós da Praça de Maio, fundada em 1977, estima que 500 crianças, filhas de opositores políticos à ditadura, terão sido retirados das famílias e adotados por responsáveis do regime militar.

Partilhe esta notíciaComentários

Notícias relacionadas

501 caixões e 200 sacos com cadáveres encontrados abandonados na Argentina

Argentina fora dos BRICS por decisão de Milei

Manifestação contra Javier Milei reprimida pela polícia argentina