Euronews is no longer accessible on Internet Explorer. This browser is not updated by Microsoft and does not support the last technical evolutions. We encourage you to use another browser, such as Edge, Safari, Google Chrome or Mozilla Firefox.

Última hora

Última hora

O custo das catástrofes naturais em 2015

O custo das catástrofes naturais em 2015
Tamanho do texto Aa Aa

Foram cinco as maiores catástrofes naturais que assolaram o planeta Terra em 2015. Sismos, tsunamis, furações, que mataram milhares de pessoas e destruíram localidades inteiras, ainda que com perdas materiais menores que em anos anteriores.

Um ano em que estes acontecimentos, podemos ainda chamar-lhes imprevisíveis, fizeram muito mais mortes que em 2014. Vinte e três mil pessoas morreram no último ano, vítimas destas catástrofes, contra sete mil e setecentas no ano anterior.

O acontecimento natural mais marcante do ano foi o sismo no Nepal, em abril, que fez 9 mil mortes. Seguiram-se as ondas de calor na Índia e no Paquistão, provocadas pelo El Niño, com 3.670 mortos.

Imagens espetaculares circularam pelo mundo. Pela primeira vez foram reportados mais de 1 milhar de eventos mas que se deve, provavelmente, ao desenvolvimento dos meios de comunicação virtuais. Marcos destes momentos que inesquecíveis, principalmente para quem os viveu e mais ainda para quem perdeu familiares e amigos, ou a casa onde vivia.

A juntar às vidas que se perderam, e ainda que importante numa outra escala, há os danos estimados em 90 mil milhões de dólares, cerca de 82 mil milhões de euros, no total, o valor mais baixo desde 2009. Em 2014 as perdas chegaram aos 110 mil milhões de dólares. Números avançados num estudo feito por uma seguradora alemão, Munich RE.

E é preciso não esquecer que apenas uma pequena parte das perdas são asseguradas, pelas companhias de seguros, por exemplo, 27 mil milhões do total de 90 mil milhões.